publicidade

Um abaixo-assinado lançado na última segunda-feira (28) pede o retorno, neste ano, do formato completo da Festa de Maio, com seu tradicional feirão, parque de diversões e programação artística, cultural e religiosa.

O movimento surgiu como uma resposta quase imediata à notícia publicada pelo Itapira News de que o evento, suspenso nos últimos dois anos por causa da pandemia, voltaria a ser realizado em edição bem reduzida.

A ideia, a princípio, é promover o evento somente com programação religiosa e quermesse no Largo de São Benedito, com barracas da Igreja Matriz de São Benedito e vagas para alguns comerciantes locais.

O objetivo do abaixo-assinado online é buscar a liberação da Prefeitura para que, ao menos, seja permitida a realização do feirão com trailers e barracas. “Considera-se que há um tempo hábil de pelo menos 30 dias para organização por parte da Prefeitura, tempo suficiente para planejamento do feirão”, diz a descrição na página de assinaturas.

“Também é de extremo interesse a realização de pequenos eventos e apresentações, além da possibilidade de viabilizar o parque de diversões, entretanto, reivindicamos à Prefeitura Municipal de Itapira, por meio de sua Secretaria de Cultura e Turismo, a viabilização do essencial e tradicional feirão”, continua o texto.

Até a manhã desta terça-feira (29) o movimento contava com quase 600 assinaturas. A reportagem do Itapira News conversou com um dos organizadores do abaixo-assinado, que optou pelo sigilo. De acordo com ele, as assinaturas serão coletadas até o dia 31 de março, com o documento sendo protocolado na sexta-feira, dia 1º de abril.

De acordo com ele, movimento nasceu entre comerciantes que já costumam atuar na Festa de Maio e que enxergam no evento a chance de se recuperar, ao menos que parcialmente, dos impactos negativos causados pela pandemia também no setor de eventos.

“Consideramos importante o evento que movimenta a economia de pequenos e grandes comércios, bem como gera renda que sustenta por meses alguns pequenos empreendedores. Levamos em consideração que muitos eventos de grande porte estão acontecendo e por mais que a pandemia não tenha sido totalmente superada, acreditamos que o evento não irá proporcionar alto risco, basta consciência dos frequentadores e organização por parte da Prefeitura”, explicou o organizador.

Ainda segundo a fonte ouvida pela reportagem, há a compreensão de que, talvez, não seja possível organizar uma estrutura completa. “Mas o principal foco em nossa reivindicação é, no mínimo, possibilitar a participação do comércio local no evento, com food trucks e outros pequenos comércios”.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui