Agência do Itaú em São Paulo (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Uma ação judicial movida por uma empresa de Itapira contra o banco Itaú Unibanco pode custar à instituição financeira nada menos que R$ 7,6 bilhões em indenizações. Ao menos, este foi o valor definido em uma condenação por cobrança indevida, representando quase 30% do lucro do maior banco privado brasileiro. As informações foram divulgadas pelo jornal Valor Econômico.

Segundo a publicação, o processo foi movido há 15 anos por uma empresa de engenharia elétrica. Uma perícia judicial determinou que o valor apurado em favor da autora seria de R$ 139,9 milhões. Com a correção monetária, o valor sobe para R$ 305 milhões e, considerados os juros do período, de 2.400,64%, o total atinge a casa dos R$ 7,627 milhões.

O Itaú Unibanco questiona os valores e diz que vai recorrer da decisão de primeira instância. No processo, inclusive, o Itaú se disse credor, e não devedor, da empresa – argumento rejeitado pela Justiça. Para o banco, o valor devido à empresa seria de, no máximo, R$ 3,5 milhões, já corrigidos com base em uma dívida original de R$ 30 mil. Segundo o Valor Econômico, os advogados da empresa itapirense não se manifestaram sobre o assunto. A reportagem na íntegra está aqui.