Cerco em rodovia terminou com morte de foragido (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Acusado da autoria da morte do vendedor Paulo Manara durante assalto a residência na manhã da última quinta-feira (29), Lucivaldo Leonardo Silva Filho, de 26 anos, foi morto a tiros em um cerco feito pela Polícia Militar na noite desta sexta-feira (30).

O homem era considerado foragido e as equipes estavam em uma verdadeira caçada pelo acusado desde o crime que chocou a cidade pela violência e brutalidade.

Ao tentar prender o assaltante, os policiais fizeram disparos quando o criminoso fez menção de reagir e de atirar contra as unidades.

Mantenha-se bem informado: curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e também pelo Twitter

O cerco aconteceu na Rodovia SP-147, próximo a um motel nas proximidades da área urbana de Mogi Mirim. Ele vinha sendo procurado após a apreensão de dois menores também acusados de participação no crime.

Ainda na sexta-feira, Lucivaldo também trocou tiros com guardas municipais em Serra Negra, ocasião em que uma criança de apenas oito anos acabou sendo vítima de bala perdida.

Ele conseguiu escapar, mas uma garota de 21 anos, que seria namorada de um dos menores envolvidos no latrocínio, foi detida.

Já à noite, por volta das 22h30, Lucivaldo estava em um táxi, provavelmente tentando retornar à sua casa em Mogi. Os policiais fizeram o cerco e, na abordagem, o acusado foi ferido e chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

O corpo foi removido ao IML (Instituto Médico-Legal) de Mogi Guaçu para exames e posterior liberação à família. O homem morto também era investigado por possíveis autorias em roubos a residências ocorridos recentemente em Itapira.

  • O CRIME

Na manhã de quinta-feira, o comerciante Paulo Manara foi surpreendido por ladrões quando abriu o portão de sua casa, no bairro Nova Santa Cruz.

Ele foi rendido levado para dentro da casa e teria reagido quando os criminosos deixavam a residência, inclusive conseguindo ferir um deles.

Porém, já na rua, foi alvejado com diversos tiros a queima roupa, que teriam sido disparados por Lucivaldo. O vendedor morreu logo após ser socorrido por policiais militares e levado à Santa Casa.

No mesmo dia, a Polícia Militar localizou dois menores feridos com tiros, um deles na perna, outro no abdômen. Eles disseram que teriam sido vítimas de tentativa de roubo, mas a versão não convenceu. A dupla acabou confessando a participação no latrocínio e foram apreendidos.

Publicidade - Anuncie aqui