Ferreira foi preso em Jacutinga na noite passada (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Policiais civis de Mogi Mirim e de Jacutinga, no Sul de Minas Gerais, conseguiram prender na noite da última quinta-feira (7) Juarez Pedro Ferreira, de 54 anos, acusado de feminicídio.

Ele era considerado foragido e foi preso menos de 24 horas após o bárbaro crime ocorrido em Mogi.

Ferreira é acusado de matar com golpes de facão sua ex-companheira, Genezia Souza, 43, e de decepar a mão esquerda da enteada de 23 anos, que segue internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) da Santa Casa de Mogi Mirim.

  • O CRIME

O caso de extrema violência aconteceu na noite de quarta-feira (6) na Rua Angelina Resende, no Parque das Laranjeiras. Armado com um facão, o homem foi até a casa da ex-mulher, com quem conviveu por seis anos e estavam separados há um mês.

Ferreira tem um bar no mesmo bairro e não aceitava o fim do relacionamento. Após o crime, a mulher chegou a ser socorrida, mas morreu na madrugada de quinta-feira em razão dos graves ferimentos sofridos na região da cabeça, braços e pernas.

Sua filha tentou intervir e também foi gravemente ferida, tendo uma das mãos decepadas. Na noite do crime, familiares e vizinhos de Genezia, totalmente revoltados, atearam fogo na casa e no bar do acusado. O Corpo de Bombeiro foi acionado e controlou as chamas.

  • FUGA E PRISÃO

Depois de cometer o brutal crime, Ferreira fugiu. Investigações dos setores de inteligência da Polícia Civil paulista e da Polícia Civil mineira, contudo, culminaram na localização do acusado em um sítio às margens da Rodovia MG-290, em Jacutinga.

O dono da propriedade, amigo de Ferreira, disse que não tinha conhecimento do feminicídio e acabou liberado. O acusado foi levado para Mogi Mirim e interrogado pela delegada Raquel Casali, que está à frente das investigações.

Ferreira foi encaminhado para a UDTE (Unidade de Detenção, Triagem e Encaminhamento) de Itapira, onde permanece à disposição da Justiça.