Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A chegada da estiagem – período do ano com menos ocorrências de chuvas e clima mais seco – já trouxe de volta o fantasma das queimadas em Itapira.

O primeiro registro de incêndio em área verde ocorreu na última segunda-feira (4), na região rural da Fazenda Cirilo Júnior.

Nesta terça-feira (5), mais uma ocorrência mobilizou as equipes da Defesa Civil, desta vez na região do bairro dos Limas, também área rural às margens da Rodovia SP-147 (Itapira-Lindoia).

Mantenha-se bem informado: curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e também pelo Twitter

“Pode-se dizer que essas ocorrências seguidas abriram oficialmente a temporada de queimadas características da época de estiagem”, comentou o coordenador da Defesa Civil, Ronaldo Ramos da Silva.

O combate desta terça-feira mobilizou os agentes Tonolli, Luís e Bruno durante aproximadamente 1h30, em um incêndio considerado de grandes proporções.  Na ocorrência anterior, o fogo foi controlado pelos agentes Assis e Fabrício.

Agentes da Defesa Civil já começam a se mobilizar em ocorrências de queimadas (Divulgação)
  • TEMPO SECO E AÇÃO HUMANA

O período de estiagem concentra o maior índice de queimadas do ano no país. E não é diferente em Itapira. O número elevado dos focos de incêndio tem relação direta com dois fatores: o tempo seco e a ação humana.

Além de prejudicar o meio ambiente, com potencial destruição de áreas verdes, de matas e provocar mortes de animais, os incêndios também podem danificar redes elétricas e de telefonia, por exemplo.

Evitar a queima preparatória para pastos e áreas de plantio, queima de lixo e descarte de cigarros acessos às margens de rodovias são algumas das medidas a serem adotadas para evitar o surgimento dos focos de incêndio.

Vale ressaltar que a Lei de Crimes Ambientais classifica como crime o ato de provocar incêndios em área de vegetação, com pena de reclusão de 2 a 4 anos e multa, além da mesmas sanções para aqueles que causarem poluição que afete a fauna e a flora – como colocar fogo em lixo, entulho, etc.