Publicidade - Anuncie aqui também!
Queimadas acontecem quase que diariamente no município
Queimadas acontecem quase que diariamente no município
Publicidade - Anuncie aqui

As constantes queimadas que incomodam a população e prejudicam a qualidade do ar já somaram 63 ocorrências somente neste mês em Itapira.

O balanço, com dados até a última quarta-feira (19), foi fornecido à reportagem pela Defesa Civil.

As estatísticas revelam uma média superior a três casos por dia. Com o tempo seco, os efeitos da fumaça fazem ainda mais mal à saúde, acarretando ou piorando problemas respiratórios.

Coincidentemente, o número é idêntico ao registrado no mesmo período do ano passado – com a diferença, porém, de que 2014 registrou a pior estiagem dos últimos anos. “Neste ano já tivemos vários dias de chuvas durante a estiagem, e mesmo assim já atingimos o mesmo número”, comentou o chefe da Defesa Civil, Romeu Job Souza.

As estatísticas do órgão mostram que as ocorrências aumentaram gradativamente desde junho passado, quando foram 17 incêndios em áreas verdes, terrenos, pastagens e matas, na tanto na zona rural quanto na urbana. Em julho, foram 30 casos. No ano passado, os dois meses foram piores, somando 111 registros.

Na última quarta-feira, por exemplo, um grande incêndio foi registado na região do Tanquinho, mobilizando caminhões da Defesa Civil, da Brigada de Incêndio da Prefeitura e da Usina Nossa Senhora Aparecida. “Temos combatido diversos incêndios, quase que constantemente, no período diurno, desde os pequenos aos de grandes proporções, envolvendo terrenos na área urbana e área de pastagem, matas das áreas rurais e em alguns casos, prestando apoio também para a Usina, no combate a incêndios envolvendo palhas de canas”, frisou Job.

De acordo com ele, o alto índice de ocorrências fez com que toda a corporação ficasse em alerta. “Devido à estiagem e à sequência de ocorrências envolvendo incêndios, todos os agentes estão de sobreaviso, de prontidão para qualquer eventualidade”, afirmou.

Publicidade - Anuncie aqui