Movimento intenso é diário na Praça Mogi Mirim, que concentra grande número de acidentes (Paulo Bellini/ItapiraNews)

Palco de constantes acidentes de trânsito, o cruzamento das ruas Rui Barbosa e General Carneiro, na Praça Mogi Mirim, é motivo de preocupação dos comerciantes próximos.

Testemunhas oculares de colisões praticamente semanais no local, eles pedem mais atenção das autoridades de trânsito e cobram estudos que possam aumentar a segurança de motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres.

Recentemente, um acidente ocorrido no cruzamento envolveu três veículos. Poucos dias depois, um carro e uma motocicleta também se chocaram. A situação não é novidade, mas o aumento da frequência dos acidentes vem gerando ainda mais preocupação.

“Faz dez anos que estou aqui e é inacreditável o tanto de acidente que acontece nesse lugar”, confirma o comerciante Fábio Salgado Vernucci, 47, proprietário da Sarga Suplementos, que fica quase na esquina com a Rui Barbosa.

Ele é um dos que defendem a necessidade de um semáforo no cruzamento, assim como Lucas Henrique Monfinatti, 21, sócio da LM Store.

O empresário afirma que, inclusive, que já encaminhou um pedido formal à Prefeitura, mas não houve resposta. “Teve um caso em que um carro subiu a calçada e bateu na parede da loja”, conta.

A balconista Edimara Oliveira Carvalho, 35, conta que está há apenas 40 dias no novo endereço da lanchonete Salgadaria Edinho – tempo suficiente para já se assustar com a quantidade de acidentes no trecho.

“Presenciamos o acidente com três carros envolvidos, foi um susto muito grande, também acho que precisa de um semáforo aqui”, concorda.

  • MEDIDAS

Além de semáforo, há também quem defenda a implantação de lombadas nas proximidades do cruzamento, como é o caso do comerciante Fábio Luis Dagnoni, 51, da Sorveteria Kaká.

“Falei na Prefeitura para colocar lombada há um tempo, estamos aqui há dois anos e direto acontecem acidentes, ainda mais agora que vai voltar a aulas em setembro, é um perigo para as crianças”, diz, se referindo à proximidade com a Escola Estadual ‘Elvira Santos de Oliveira’.

A diretora da unidade escolar, Jaqueline Cristina Rossi, 44, também demonstra preocupação. “Já tivemos acidente com uma professora e com um ônibus escolar”, conta.

Além das crianças, existe também o perigo para os idosos que diariamente se deslocam à Farmácia Ultra Popular, situada bem em frente à Praça Mogi Mirim.

O empresário Ronan Gabriel de Almeida, 32, diz que também já apresentou requerimento na Prefeitura para que uma lombada fosse implantada no trecho, mas recebeu resposta negativa.

“Falaram que não tinha como fazer. É um perigo para os idosos que frequentam a farmácia, eu que sou jovem tenho que sair correndo para atravessar a rua, mas os idosos não conseguem fazer isso”, relata.

Comerciantes mais antigos da região, como Cássia Salgado, 53, da Casa Norma, concorda que é necessária uma atenção maior das autoridades no local. “No horário de pico é impossível atravessar a rua, não tem segurança nenhuma para as crianças ou para os idosos, não tem segurança para ninguém aqui.

  • ESTUDOS

A reportagem do Itapira News solicitou um posicionamento do Departamento de Trânsito, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Defesa Social.

Em nota, a assessoria de comunicação da Prefeitura informou que um estudo será realizado na região para avaliar as possibilidades e eventuais mudanças para tentar reduzir os acidentes.

A administração disse que esse estudo inclui, por exemplo, a contagem de veículos e verificação do fluxo em diferentes horários e dias da semana. A Prefeitura, entretanto, não forneceu um prazo para que a avaliação seja concluída.

Caso recente envolveu colisão de três veículos no cruzamento (Arquivo/ItapiraNews)
Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui