Mauricio Cassimiro de Lima
publicidade
Lima registrou boletim por ameaça e desacato
Lima registrou boletim por ameaça e desacato

O vereador Maurício Cassimiro de Lima (PSDB) registrou um boletim de ocorrência por ameaça e desacato na noite de terça-feira (20), depois de ser ofendido e se sentir ameaçado por um cidadão que acompanhava a sessão da Câmara Municipal.

Por volta das 20h30, depois de discursar sobre o quadro da saúde no município durante debate sobre a negativa da Prefeitura em adquirir um tomógrafo para o Hospital Municipal (veja aqui), Lima foi alvo da revolta de Diego Melo, presidente local do PTN (Partido Trabalhista Nacional), que acompanha freqüentemente as sessões legislativas. “Maurício, você pode me processar, fazer o que for, mas dobre sua língua antes de falar qualquer coisa sobre o Hospital Municipal”, disse Melo, irritado com as declarações do vereador.

Mesmo ciente de que sua atitude era vetada pelo Regimento Interno da Câmara Municipal, Melo continuou, aos berros, chamando o vereador de “sem vergonha”, “demagogo” e “puxa-saco”. “Isso aqui é revolta”, justificou o dirigente partidário. “Você só fala mentira, tem que andar com segurança e vai apanhar você e ele. Dá nojo, palhaçada”, gritou Melo, enquanto o presidente da Câmara, vereador Carlos Alberto Sartori (PSDB) pedia que a Guarda Civil Municipal fosse acionada.

Pouco tempo depois, duas guarnições da corporação chegaram á Casa, com quatro guardas permanecendo no local até o fim dos trabalhos. Quando a GCM chegou, Melo já havia ido embora. Lima não se manifestou no momento dos ataques. Após o término da sessão, foi à Delegacia de Polícia e registrou a ocorrência. No documento policial, o vereador alegou que Melo o ameaçou de morte e que, por diversas vezes, “fez gestos como se portasse uma arma de fogo na cintura”.

Em entrevista publicada no jornal Tribuna de Itapira nesta quinta-feira (22), Melo negou que estivesse armado e que tenha feito tal menção. Também disse se arrepender da ameaça que fez ao vereador. “Botei tudo pra fora. Descarreguei. Aquela ameaça que fiz até me arrependo. Estava no auge, estourado. Me exaltei e falei”, comentou.

Ele também disse que não estava na sessão na condição de presidente de partido, e sim como cidadão. “Acho uma chacota o que o Maurício vem falando sobre o Hospital Municipal. Ele falou que o transporte, em caso de urgência para tomografia, era feito pelo Samu, acompanhado de um médico. E no dia 8 de maio eu estava no Pronto Socorro à noite e teve um caso assim. O cara (paciente) ficou aguardando horas no corredor. E o transporte foi feito pela ambulância da Prefeitura. Acho que ele (Maurício) faz o certo. Ele tem que defender (o governo), mas defenda com a verdade”, argumentou Melo.

As imagens do caso foram registradas pelo sistema de áudio e vídeo da Câmara Municipal. Ao mesmo veículo, Lima classificou o fato como “lamentável”, afirmando que Melo havia passado do limite. O Itapira News também tentou obter um posicionamento do vereador Maurício Cassimiro de Lima, contudo, por meio da assessoria de imprensa da Câmara, ele informou que não iria mais comentar o caso.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui