Badi Moyses (centro) ladeado por Bredinha (esquerda) e Carlão Jamarino: homenagem da Família Carunchos (Divulgação)
publicidade - anuncie aqui

Com 80 anos muito bem vividos, o aposentado Badi Moyses esbanja vitalidade. Tanto que este carismático senhor continua a impressionar ao participar ativamente das peladas disputadas aos sábados no tradicionalíssimo Carunchos Esporte Recreativo. “E jogo os dois tempos”, faz questão de deixar claro.

Ele e o amigo Mauro Gracini são os componentes mais longevos ainda em atividade no clube de futebol que reúne somente veteranos.

O meio-campista Badi desfila todo talento na equipe fundada em 1976 certamente há mais de 35 anos. Nem mesmo o assíduo frequentador conseguiu precisar a data quando começou a participar dos treinos na agremiação. Ele ainda compõe a diretoria da equipe como “tesoureiro praticamente vitalício”, brinca.

Tamanho exemplo de dedicação fez a diretoria do Carunchos, que tem na presidência João Aurélio Breda, o Bredinha, organizar uma homenagem especial a Badi Moyses pelo aniversário de 80 anos, data comemorada oficialmente na quinta-feira (22).

Ele ganhou uma festa surpresa na tarde de sábado (17), no próprio gramado do Campo ‘Victório Sartorelli Filho’, no bairro dos Prados, antes do bate-bola. Um singelo evento com direito a salgadinhos, bolo, ‘parabéns a você’ e, claro, a entrega de um belíssimo cartão de prata.

Sara, Badi e Jonas: filhos foram acompanhar a homenagem ao pai (Divulgação)

Nascido no bairro de Eleutério, Badi Moyses trabalhou no Banco Itaú, onde permaneceu por 25 anos. Depois disso foi sócio da empresa Mogi Fone, instalada entre Mogi Mirim (SP) e Mogi Guaçu (SP); proprietário de uma gráfica no município, a Grafical; conselheiro tutelar em Itapira por mais de seis anos; e caixa de uma casa lotérica.

“Quando veio a pandemia da Covid-19, meus filhos pediram para parar. Foi quando comecei a trabalhar na empresa da minha filha (SM Bike Wear), onde estou até hoje”, conta.

  • APAIXONADO POR FUTEBOL

Santista de coração, Badi sempre foi apaixonado por futebol e na juventude defendeu as cores do time amador itapirense Santa Cruz, então como meia direita. Com mais idade ficou vários anos no Veterano Itapirense, dirigido pelo saudoso Atílio Avancini Neto, o Tila Avancini, antes de desembarcar no Carunchos.

“Estou no Carunchos desde os primórdios, mas não sei precisar a data correta. Como tesoureiro sou praticamente vitalício na diretoria”, destaca, em meio às gargalhadas. E ainda deixou claro ao Itapira News: joga os 90 minutos nos treinos dos sábados.

Mesmo ao lado de jogadores bem mais novos, alguns com 35 anos de idade, o volante dá conta do recado em um ambiente tomado pelo respeito e admiração em torno da energia que demonstra em campo. O segredo da vitalidade, Badi revela à reportagem.

“Na juventude me cuidei muito. Nunca ingeri bebida alcoólica e nunca fumei. Não bebo porque não gosto e acho que não me faz falta. Na mocidade me preservei muito, principalmente com relação à alimentação, e sempre praticando futebol. Para ir ao trabalho, os deslocamentos eram geralmente a pé ou de bicicleta”, detalha.

Aos 80 anos, Badi Moyses faz questão de se manter atuante no Carunchos (Paulo Bellini/ItapiraNews)

E quando sobra um tempinho entre um afazer e outro, lá está este senhor de 80 anos nas corridas pelo calçadão da Rua Professor Fenízio Marchini, às margens do Ribeirão da Penha. “Mas gosto mesmo é de correr. Caminhar não”, salienta.

Para Badi Moyses, a Família Carunchos representa uma parte fundamental e importante na sua longa trajetória de vida. “O Carunchos me ajuda a viver. Dá outro ânimo e é um lugar onde só tenho amigos. No dia da homenagem não deu para segurar as lágrimas. É um reconhecimento gratificante. Fiquei sem ação, até abobalhado”, relembra, frisando que não abre mão de participar do futebolzinho aos finas de semana.

Casado há 45 anos com Letir Maniezzo Moyses, o casal tem os filhos Jonas Maniezzo Moyses, 43, e Sara Maniezzo Moyses, 39.

Como disposição não falta a Badi Moyses, ele ainda encontra tempo para soltar a voz potente no Coral São Benedito, nas missas que acontecem nas comunidades pertencentes à Paróquia São Benedito. “Gosto de cantar, principalmente os Salmos”, destaca, acrescentando que também já participou de grupos de canto na Paróquia Santo Antônio e Nossa Senhora da Penha.

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade - Anuncie aqui