Vendas continuavam a todo vapor na manhã desta segunda-feira
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Comerciantes ambulantes que se instalaram no popular feirão da Festa de Maio ignoraram o decreto editado pelo prefeito José Natalino Paganini (PSDB) que estabeleceu a obrigatoriedade de que todas as barracas, trailers e similares fossem desmontados até 10h00 desta segunda-feira (14).

O evento terminou oficialmente na noite do último domingo (13), mas até o horário-limite para a permanência dos ambulantes, as vendas do chamado ‘bota-fora’ seguiam a todo vapor especialmente nas ruas General Carneiro, Saldanha Marinho e Saudade.

Poucas barracas estavam sendo desmontadas e a movimentação de consumidores era intensa. O chamado ‘bota-fora’ é conhecido pelos descontos mais atrativos nos momentos finais do evento. Não é novidade a permanência dos vendedores além do horário autorizado, mas o decreto afirma que quem desrespeitar a regra de saída poderá perder o direito de explorar o espaço público durante o evento nos anos seguintes.

Consumidores aproveitaram ‘bota-fora’ para pechinchar no feirão
  • FISCALIZAÇÃO

O Departamento de Fiscalização da Prefeitura de Itapira informou que a saída dos ambulantes depende da interrupção do fornecimento de energia elétrica nas barracas, procedimento que deve ser feito pela CPFL (Companhia Paulista de Força e Luz). “Até o momento, isso ainda não foi feito”, disse, por telefone, o chefe do setor, Marcelo Vieira.

O contato feito pela reportagem ocorreu às 10h50. “Enquanto não cortar a energia, os comerciantes não podem desmontar as barracas, pois as fiações ficariam expostas. Então, acabam aproveitando para vender até que realmente tenham que guardar tudo para ir embora”, argumentou. A reportagem solicitou um posicionamento da CPFL, que informou, às 14h10, que já estava “realizando a interrupção de energia para o desmonte das barracas instaladas para a Festa de Maio”.