Vereadores decidiram retirar projeto polêmico da pauta de votação (Paulo Bellini/ItapiraNews)
publicidade

Depois de uma reunião de quase 1h30 entre os 10 vereadores junto de representantes do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, o PL (Projeto de Lei) que concederia reajuste de 11% nos subsídios do prefeito, do vice-prefeito e de todos os secretários municipais da Prefeitura foi retirado da pauta.

O texto estava tramitando há uma semana na Câmara Municipal e motivou críticas de parte da população nos últimos dias.

A provável retirada do PL na sessão desta quinta-feira (14) já havia sido adiantada mais cedo no Programa Conexão Itapira News após apuração nos bastidores políticos do município.

Se fosse aprovado, o PL iria aumentar de R$ 17.368,56 para R$ 19.297,10 o salário recebido mensalmente pelo prefeito municipal. Já o subsídio do vice-prefeito passaria de R$ 4.953,00 para R$ 5.497,83. Os secretários municipais, por sua vez, deixariam de ganhar R$ 8.065,00 para receber R$ 8.952,83.

O texto de autoria da Comissão de Finanças e Orçamento – formada pelos vereadores André Siqueira (União), Mino Nicolai (União) e Maísa Fernandes (PSD) – justificava  a necessidade do reajuste como forma de “repor parcialmente a perda inflacionária apurada” desde 2013, quando ocorreu o último reajuste.

Mino Nicolai e André Siqueira defenderam o PL, mas não deu acordo (Paulo Bellini/ItapiraNews)
  • REVOLTA

A sessão foi acompanhada por membros do Sindicato dos Servidores e também por alguns médicos – uma das principais classes interessadas, já que os salários pagos à categoria não podem ultrapassar o teto pago ao chefe do Executivo e há anos um reajuste é cobrado.

Os trabalhos foram suspensos por volta das 18h40 para que os vereadores pudessem se reunir e conversar sobre o polêmico projeto. O que seriam 10 minutos viraram 1h30 de debates.

Ao final, já por volta das 20h25, três vereadores decidiram que não votariam favoravelmente ao texto, conforme ventilado: Leandro Sartori (Psol), Carlos Donizete Briza (PSDB) e Carlinhos Sartori (PSDB).

Ao retomar a sessão, Mino Nicolai pediu a inversão da pauta e solicitou a retirada do PL, pedido acatado pelos pares da Comissão. A presidente Beth Manoel (União) demonstrou revolta, argumentando que a aprovação do projeto iria beneficiar a população.

“Por uma irresponsabilidade de três vereadores que não assumem a posição de vereador, de ajudar o funcionário público. Estamos atravessando uma fase de falta de médicos na nossa cidade, com esse salário pequeno temos dificuldade em contratar”, disse a vereadora citando nominalmente Leandro Sartori, Carlos Briza e Carlinhos Sartori.

Em seguida, Leandro Sartori tentou responder, mas teve a palavra negada pela presidente. André Siqueira também lamentou a falta de acordo entre as bancadas. “Não estou nem preocupado com o prefeito, minha preocupação era mais com os médicos e dentistas, mas infelizmente não conseguimos apoio de alguns vereadores e estamos retirando o projeto”, disse.

Já Mino Nicolai classificou o episódio como uma “tragédia”. “Hoje deixamos de beneficiar os médicos que cuidam dos meus parentes, dos seus parentes. Prejudicou a população inteirinha de Itapira, infelizmente hoje é um dia para ser lembrado como trágico aqui”, disse. Como resposta, ouviu de Sartori que o grupo governista não se articulou corretamente.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui