Instituto Balangandã segue adaptando suas atividades (Divulgação)

Com as atividades presenciais suspensas há um ano em razão da pandemia, o Instituto Balangandã segue cumprindo seu cronograma de atendimento aos alunos de maneira adaptada de acordo com as regras do Plano São Paulo.

Após a retomada das atividades em sistema híbrido, em fevereiro deste ano, o instituto sediado na Rua Padre Ferraz, 444, na Santa Cruz, precisou novamente suspender a recepção ainda que limitada dos alunos de Educação Musical e Canto Coral Cênico em razão da decretação da fase emergencial.

Com isso, as atividades novamente retornaram ao modelo 100% online, com videoaulas e conferências ao vivo por meio de aplicativos e plataformas digitais.

“Assim como fizemos ao longo de 2020, seguimos com nossas atividades cumprindo o plano de trabalho com as adaptações necessárias para garantir a segurança de todos sem precisar interromper as aulas”, comenta o coordenador administrativo do Balangandã, Paulo Bazani.

A coordenadora pedagógica do instituto, Letícia Fernandes, lembra que o modelo híbrido vinha sendo muito bem avaliado, com boa adesão dos alunos dentro das possibilidades de acordo com os protocolos sanitários definidos para o setor.

“Fizemos uma série de adequações em nossos espaços e tudo vinha funcionando bem, mas foi preciso novamente retornar ao modelo totalmente online para continuar ofertando as atividades. Neste momento compreendemos a importância das medidas de proteção coletiva. Todos nós esperamos que a situação melhore e que todos possamos voltar à normalidade e com muita saúde”, destaca.

As aulas online atendem todas as turmas de educação musical, com conteúdos que são distribuídos de acordo com cada faixa etária. Para os alunos a partir dos cinco anos de idade, as aulas são transmitidas ao vivo.

Já para a turma dos bebês são gravadas aulas em vídeo e enviadas aos pais, e as turminhas de dois a quatro anos recebem aulas ao vivo complementadas por conteúdos gravados.

As atividades do Instituto Balangandã são dirigidas pela Progestcult – Gestão de Projetos e contam com o patrocínio das empresas Laboratório Cristália e Haes por meio do ProAC (Programa de Ação Cultural) do Governo de São Paulo, além do Bancoob (Banco Cooperativo do Brasil) por meio da Lei de Incentivo à Cultura do Governo Federal.

O Balangandã conta também com recursos da Lei Aldir Blanc para manutenção de espaços culturais independentes por meio do Edital 4/2020 da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de Itapira. Mais detalhes sobre os projetos desenvolvidos podem ser consultados no site www.balanganda.art.br.

Publicidade - Anuncie aqui