Estrutura do circo já foi desmontada (Paulo Bellini/ItapiraNews)
publicidade

Depois de 21 meses instalados em Itapira, em um terreno às margens da Avenida dos Italianos, nos Prados, a família do Venega’s Circus se prepara para deixar a cidade.

Os artistas se instalaram no espaço em fevereiro de 2020 e, com o início da pandemia, ficaram impossibilitados de se locomover com a estrutura para outra cidade e também precisaram suspender os espetáculos em respeito à quarentena.

Nesse período, conheceram a solidariedade da população, que atendeu o chamado tão logo foi divulgada a situação de dificuldades pela qual a família passava, e vivenciaram a triste perda do patriarca Maurício Venegas, falecido em julho deste ano justamente em razão de complicações da Covid-19.

“Teremos gratidão eterna à cidade de Itapira. Não temos nem palavras para dizer o quanto somos gratos à população daqui. Apesar das lembranças tristes por termos perdido um ente querido, temos muita gratidão por tudo o que essa cidade fez por nós, isso não tem preço”, disse o filho do fundador do circo, Juan Venegas.

Toda a estrutura do circo foi desmontada nos últimos dias, depois de uma breve temporada com apresentações, algumas delas gratuitas e abertas ao público. O movimento, entretanto, não foi como esperado.

Com isso, umas das dificuldades é com relação à questão financeira. Como os veículos do circo ficaram muitos meses parados, precisam passar por manutenção como recarga de baterias e troca de pneus para viagens mais longas, por exemplo.

Família do Venega’s Circus se prepara para deixar a cidade (Paulo Bellini/ItapiraNews)

A família tem se virado como pode, inclusive com algumas ações de vendas de balões, por exemplo, mas quem quiser contribuir pode conversar diretamente com eles no local em que o circo ficou por quase dois anos.

“A gente fica até mesmo com vergonha, mas a situação realmente não é legal. Quem quiser nos ajudar com recarga de bateria, com pneu ou mesmo com combustível, será muito bom e agradecemos novamente”, disse Priscila Rubio, a esposa de Juan e também artista circense.

A comitiva está quase pronta para partir, mas também ainda depende de alguns ajustes que envolvem, inclusive, para onde ir exatamente.

“Por enquanto ainda estamos sem rumo, infelizmente, pois os lugares que encontramos para onde ir são a partir de janeiro. Fim de ano é mais difícil para se instalar com um circo em qualquer cidade. Ainda estamos definindo”, completa Priscila.

De acordo com ela, a intenção é prosseguir com as atividades do circo, mantendo a arte e a tradição. “Sem esquecer a gratidão que tanto temos com Itapira por todo carinho e atenção que todos tiveram com a gente, inclusive ao Itapira News, que sempre divulgou quando precisávamos de ajuda e tanto nos ajudou durante a pandemia”, finalizou Juan.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui