Conscientização e apoio pode ajudar a Ascorsi a aumentar volume arrecadado (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Conscientização e apoio pode ajudar a Ascorsi a aumentar volume arrecadado (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui

A queda na arrecadação de materiais recicláveis fez com que a Ascorsi (Associação dos Coletores de Resíduos Sólidos de Itapira) definisse novas estratégias para conscientizar a população. A instituição deu início a uma campanha de divulgação porta a porta para levar à comunidade as informações não somente sobre a importância da correta destinação dos materiais reciclados, mas também da doação dos volumes à Ascorsi como forma de contribuir na geração de renda para seus associados.

De acordo com a instituição, a arrecadação nos dois primeiros meses desde ano caiu 42 toneladas em relação ao mesmo período do ano passado. Em janeiro e fevereiro de 2016, foram coletadas 149 toneladas de recicláveis nas residências do município – montante que nos mesmos meses deste ano caiu para 107 toneladas. O balanço não leva em consideração o volume arrecadado nas empresas parcerias do projeto mantido pela Ascorsi.

A campanha de divulgação acontece em parceria com as entidades Jovem em Ação e Aipa (Associação Itapirense de Preparo do Adolescente). “Essa queda na arrecadação reflete diretamente nos rendimentos dos coletores associados. Em janeiro, até conseguimos compensar um pouco com o que entrou das empresas parceiras e com a melhora do preço dos materiais. Mas, nos primeiros dias deste mês o pessoal ficou várias horas paradas por falta de material para a triagem, e isso é uma amostra de que suas rendas serão diretamente afetadas”, lamentou o biólogo e educador ambiental da Ascorsi, Gabriel Inácio de Moraes, 30.

De acordo com ele, a grande dificuldade é combater organizadores de fora da cidade que atuam clandestinamente em Itapira e que costumam passar nos bairros antes dos veículos da Ascorsi. Uma lei impede esse tipo de atividade, mas a falta de uma fiscalização mais intensiva faz com que muito material seja recolhido por pessoas não autorizadas. Daí a importância, também, que a população somente coloque os materiais recicláveis na calçada nos dias em que há coleta da Ascorsi. “Também há os catadores que não são vinculados à Ascorsi, mas que são de Itapira. Nestes casos, sabemos que eles também precisam de renda, mas teriam mais vantagens e direitos se também fossem associados. Orientamos à população para que colabore com a coleta seletiva oficial, pois assim estão contribuindo não só com meio-ambiente, mas também com a renda e com os direitos sociais dessas pessoas”, acrescentou Moraes.

  • RESULTADOS

Apesar dos problemas enfrentados na coleta junto às residências, em janeiro a Ascorsi bateu recorde na doação feita pelas empresas. A parte boa, também, é que os resultados com a campanha nas ruas já foi imediato. “Já sentimos um sensível aumento na arrecadação do material”, destacou o biólogo. Agora, a instituição pretende reforçar a campanha de forma a cobrir todos os bairros, levando orientações não só por meio dos parceiros das entidades de jovens aprendizes, mas também através das agentes comunitárias. O cronograma da coleta seletiva solidária pode ser consultado na página www.facebook.com/itapira.ascorsi ou no site www.itapira.sp.gov.br/servicos_publicos/cronograma.