Guardas visitaram mãe e filhinha após salvamento na noite anterior (Paulo Bellini/Itapira News)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Uma rápida e bem coordenada atuação da GCM (Guarda Civil Municipal) de Itapira acabou sendo decisiva para a preservação da vida de uma bebezinha de apenas 16 dias.

O caso aconteceu na noite da última quarta-feira (18) e começou com um telefonema encaminhado ao CECOM (Centro de Comunicação) da GCM, atendido pelo operador de rádio Robson.

Do outro lado da linha, uma mulher em desespero, informando que sua irmã estava apuros com sobrinha recém-nascida. Ela se referia à dona-de-casa Larissa Alves Andreuze, 24, que por volta das 23h00 percebeu que a filhinha Lorena não estava respirando normalmente.

“Ela havia mamado fazia uns quarenta minutos, arrotou e depois dormiu. Um pouco depois, percebi que a fraldinha estava cheia e fui dar banho. Foi aí que percebi que ela estava respirando com dificuldades e logo já começou a ficar roxa”, contou a mãe em entrevista exclusiva ao Itapira News.

GCM Machado dá beijo em bebezinha durante visita: cena emocionante (Paulo Bellini/Itapira News)

Na tarde desta quinta-feira (19), ela e a filhinha receberam a visita de vários guardas da Equipe B que atuaram na ocorrência. “Eu fiquei desesperada e primeiro liguei para meu cunhado, que é guarda (GCM Dorta). Enquanto isso minha irmã ligou para a GCM e as viaturas foram acionadas”.

A família reside na Rua Antônio Rosário, no Cubatão, e por uma feliz coincidência uma viatura do GOC (Grupo de Operações com Cães), composta pelos guardas Martins e Paulo Borges, fazia patrulhamento ali perto, pela Avenida dos Italianos.

Com a informação transmitida por Robson por meio dos rádios para todas as viaturas, a viatura do Canil imediatamente mudou sua rota e em questão de poucos minutos já chegava ao endereço informado pela solicitante.

Segundos depois, outras viaturas chegaram com vários guardas, incluindo o encarregado da equipe, GCM Manoel. O SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) já havia sido acionado e também prestava auxílio via fone, mas coube ao encarregado uma atitude decisiva.

GCM Manoel precisou tomar decisão rápida e conduziu menina ao Pronto Socorro na viatura da GCM (Paulo Bellini/Itapira News)

Percebendo que a criança já apresentava comprometimento dos sinais vitais, os guardas iniciaram manobras de reanimação e assim que a bebê novamente começou a respirar, resolveram não mais aguardar pela ambulância.

Enquanto uma das viaturas na frente ia abrindo caminho, outra seguia atrás tendo a criança nas mãos de Manoel. Durante o trajeto, novamente ela parou de respirar e foi submetida a manobras de reanimação.

Da base da GCM, Robson também já se comunicava com o Pronto Socorro do Hospital Municipal informando a situação. “É um momento em que não se pode titubear, a prioridade é a vida. Graças a Deus o final foi feliz”, comentou o operador de rádio.

Operador de rádio, Robson, novamente deu exemplo de técnica e agilidade nas operações de comunicação (Paulo Bellini/Itapira News)

A bebezinha deu entrada e já foi recepcionada por um médico e equipe de enfermeiros e técnicos. Felizmente, ela passa bem e já está em casa. Segundo a mãe, foi detectado que a menina sofreu broncoaspiração – quando a criança acaba expelindo o leite ingerido e aspirando novamente, ocasionando o bloqueio das vias aéreas.

Larissa, que também é mãe de outra menina três anos, ficou com a bebezinha no Hospital Municipal até a realização de exames e período de observação. Depois, já voltou para casa. No momento da ocorrência, seu esposo não estava no local, pois trabalha no período noturno.

Nesta quinta-feira, ao receber os guardas, ela novamente agradeceu pelo suporte recebido. “Estou muito feliz e agradecida, não sei o que poderia ter acontecido se não fossem os guardas terem me ajudado imediatamente”, comentou, emocionada. Pelas redes sociais, ela e seus familiares também agradeceram as equipes do SAMU e do Hospital Municipal.

Larissa com a filhinha Lorena: depois do susto, a alegria e a gratidão (Paulo Bellini/Itapira News)

O encarregado da equipe, GCM Manoel, disse que a ocorrência é daquelas que marcam toda a carreira e que o episódio representou um “presente de Natal” para a corporação. “É um fato atípico do dia-a-dia. Geralmente, estamos acostumados a mexer com violência, e não com uma vida de uma pessoa recém-nascida, é algo diferente. Creio que tenha sido nosso presente de Natal, é o símbolo de Jesus e nossa gratificação por trabalhar em prol da sociedade”, disse.

  • TRABALHO EM EQUIPE

Ao todo, participaram da ocorrência os guardas Carpi, Castiglioni, Ednúbia, Francisco, Manoel, Martins, Paulo Borges, Sabadini e Machado, além de Robson. Alguns deles, em razão de compromissos pessoais após o plantão noturno, não puderam acompanhar a visita na casa de Larissa.

Martins foi o primeiro a chegar ao local juntamente do guarda Paulo Borges (Paulo Bellini/Itapira News)

O comandante da GCM, César Martucci, se mostrou orgulhoso com a atuação dos guardas. “O sentimento é de muita gratidão e também de orgulho. Gratidão por exercer essa profissão que é tão importante para a sociedade. E é um sentimento de dever cumprido, também, e de orgulho pela ótima integração e pelo treinamento da equipe, fatores decisivos para o desfecho positivo da ocorrência”, elogiou.