Reunião definiu estratégias iniciais (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Reunião definiu estratégias iniciais (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui

Uma ação conjunta entre autoridades políticas, empresariais e do âmbito da Saúde começou a definir estratégias para fortalecer a atuação do Hospital Municipal de Itapira e da Santa Casa de Misericórdia. O objetivo central é criar demandas suficientes de exames e procedimentos para ambos os estabelecimentos de saúde, permitindo que os dois reforcem suas atividades e, consequentemente, obtenham mais receita – que se converte em qualidade no atendimento.

A força-tarefa foi desencadeada pelo deputado estadual José Antônio Barros Munhoz (PSDB) em parceria com o empresário Ogari de Castro Pacheco, fundador e presidente do Cristália Produtos Químicos e Farmacêuticos, e com o prefeito José Natalino Paganini (PSDB), reunindo ainda médicos da Santa Casa, integrantes da Oscip (Organização Social de Interesse Público) ‘Irmã Angélica’ – que administra a instituição – e representantes do Hospital Municipal e da Secretaria Municipal de Saúde, incluindo a secretária da pasta, Rosa Ângela Iamarino.

A ação ganhou ainda o apoio do diretor da DRS (Direção Regional de Saúde) de São João da Boa Vista, à qual Itapira faz parte, Benedito Carlos Rocha Westin. A primeira reunião do grupo foi realizada no dia 31 de março e já apresentou alguns nortes a serem seguidos para obter êxito na estratégia. De acordo com o deputado Barros Munhoz, que convocou coletiva na última sexta-feira (7) para anunciar a parceria, os graves problemas financeiros enfrentados pela Santa Casa de Mogi Mirim motivaram a iniciativa como forma de, desde já, buscar meios para que os dois hospitais itapirenses possam se fortalecer cada vez mais.

 “O assunto saúde é a maior preocupação no país, hoje. Bate até a questão da violência e do desemprego. A saúde apresenta grandes problemas e isso chegou pertinho de nós com a situação da Santa Casa de Mogi Mirim, que hoje tem uma dívida de quase R$ 34 milhões”, comentou o parlamentar, que tem mantido contato com o prefeito mogimiriano Carlos Nelson Bueno (PSDB) e atuado na busca de recursos junto ao Estado e à União.

Para o tucano, em Itapira, felizmente Itapira possui situação de certa forma confortável, com um Serviço Municipal de Saúde que, embora também concentre algumas falhas, funciona bem melhor que muitas outras cidades do Brasil. “Temos problemas, temos falhas, mas isso é natural, tudo na vida tem, mas nosso atendimento de saúde é infinitamente melhor que 90% dos municípios brasileiros. E, neste momento, acontece algo fantástico em Itapira. Já temos de alguns anos pra cá uma posição diferente em relação à Santa Casa, com a administração da Oscip. E há algum tempo o doutor Pacheco me procurou novamente para que tentássemos integrar mais os dois serviços como forma de reforçar as instituições, pra não ter dois hospitais ociosos e nem dois hospitais deficitários”, frisou o deputado.

Além de Munhoz, Pacheco, Paganini, Westin e Rosa Iamarino, a reunião inicial contou ainda com a presença dos médicos Cassiano Martelli, Newton Santana, João Arnaldo Barizon e João Carlos Oliveira, além da secretária da administração, Estercita Rogatto Belluomini. Várias ideias foram apresentadas em um encontro marcado pela “objetividade e dinamismo”, conforme definiu o deputado. “Foi uma reunião extremamente produtiva. Entendemos que não adianta fortalecer um serviço e enfraquecer outro. O que vai resultar de tudo isso vai depender muito, também, da minha atuação junto aos governos estadual e federal, e por isso eu também já me reuni na Secretaria de Estado da Saúde. Algumas outras ideias poderão surgir, faremos novas reuniões com todas essas pessoas, mas neste momento é importante que a população saiba que, felizmente, em Itapira estamos em um clima de diálogo e buscando formas de fortalecer o Hospital e a Santa Casa, buscando o máximo de integração possível. É um projeto muito embrionário ainda, precisamos melhorar algumas coisas no Hospital e a Santa Casa também precisa, mas é realmente importante esse movimento em Itapira e que é diferente de tudo o que está acontecendo na maior parte do Brasil”, finalizou Munhoz.