Unidades se movimentaram na sexta à noite após informações (Itapira News)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

As autoridades seguem nas buscas pelos autores da morte do guarda civil municipal Alex Leme, 50, morto em uma ação de roubo na última quinta-feira (30) em Itapira.

Já na sexta-feira (31), logo após o sepultamento do agente no Cemitério Municipal da Saudade, as equipes da GCM passaram a se movimentar para averiguar informações sobre o suposto paradeiro dos criminosos.

Unidades da Polícia Civil e da Polícia Militar também trabalham para tentar chegar aos autores do assassinato. Na noite de sexta-feira, denúncias relacionadas ao caso demandaram operações em ao menos três regiões da cidade.

No Condomínio São Judas, no Cubatão, a GCM fez uma operação de saturação, com bloqueio nas entradas e saídas e abordagens principalmente a motocicletas com as mesmas características daquela ocupada pelos criminosos, que segundo testemunhas seria da cor vermelha.

As viaturas foram ao local depois que a GCM recebeu informações de que um dos supostos autores do crime teria tentado pedir ajuda para se esconder nas imediações do conjunto popular. Nenhum suspeito foi detido na operação – que rendeu a recolha de uma motocicleta com chassi suprimido.

“Fizemos operações no São Judas, no Itamaracá e no Nosso Teto para averiguar informações sobre o paradeiro dos supostos autores”, comentou o inspetor Richard, encarregado da equipe que atuou à noite nas operações.

Mais cedo, a equipe coordenada pelo inspetor Nogueira também já havia feito incursões. Ao longo de sábado (1), os trabalhos prosseguiram com a equipe do inspetor Semolin. Uma das estratégias é apertar o certo em locais já conhecidos como pontos de tráfico, já que, geralmente, os crimes de roubo e comércio de drogas estão associados.

  • EMPENHO

O comandante da GCM, César Martucci, disse que a tropa está empenhada em capturar, o quanto antes, os responsáveis pela morte de Alex. “Estamos trabalhando com todo tipo de informações. Recebemos, analisamos a procedência e se tiver algum embasamento, fazemos as diligências. Essas operações vão continuar, a tropa toda está muito empenhada nas buscas”, frisou.

De acordo com ele, a população pode contribuir com denúncias anônimas. Quem tiver alguma informação que possa ajudar nas investigações pode repassar pelo Disque Denúncia 181, pelos telefones 153 (GCM) ou 190 (PM) ou ainda 3863-1287 (Delegacia de Polícia), sempre com a garantia de sigilo.