Ofertas devem aquecer varejo em nova edição da Black Friday (Reprodução /Tribuna de Itapira)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Ofertas devem aquecer varejo em nova edição da Black Friday (Reprodução /Tribuna de Itapira)
Ofertas devem aquecer varejo em nova edição da Black Friday (Reprodução /Tribuna de Itapira)
Publicidade - Anuncie aqui

A Black Friday, campanha mundial nas quais as empresas varejistas oferecem descontos especiais aos consumidores, tem nova edição nesta sexta-feira (25) e Itapira também está inserida no evento comercial que teve origem na década de 90 nos Estados Unidos.

Afetados pela crise financeira que castiga o país, comerciantes e consumidores têm a oportunidade de aproveitar a data para fazer girar um pouco mais a roda da economia.

A Acei (Associação Comercial e Empresarial de Itapira) espera que o movimento atinja pelo menos o mesmo patamar do ano passado, quando houve aumento de 25% nas consultas aos serviços de proteção ao crédito na Black Friday. “Fizemos um trabalho para que todos os comerciantes participem desta ação, mesmo porque é uma promoção esperada durante todo o ano pelos consumidores”, comentou o presidente da entidade de classe, José Aparecido da Silva.

De acordo com ele, em 2015 mais de 80% dos estabelecimentos comerciais da área central aderiram ao Black Friday. “É uma campanha que está ganhando corpo ano a ano, e que agora, inclusive, faz parte do calendário oficial da Acei. É uma boa oportunidade para os comerciantes tentarem vender mais, até mesmo pela publicidade massiva em cima disso nos jornais, rádio, televisão e internet. O comerciante que não participar da Black Friday ou está muito tranquilo e não precisa ou não quer ganhar mais ou vai ficar pra trás”, avaliou.

Neste ano, aliás, a campanha Show de Prêmios da Acei também incluiu um sorteio especial em alusão à Black Friday. Serão oferecidos cinco vale-compras no valor de R$ 200,00 cada, cujo sorteio acontecerá no dia 2 de dezembro. Ainda de acordo com Silva, é importante que os comerciantes ofereçam descontos reais, já que os consumidores estão atentos a promoções falsas que consistem em primeiro elevar o valor dos produtos para depois baixar como se estivessem em oferta. “Não pode ser só barulho, tem que realmente dar desconto. É uma chance, por exemplo, dos consumidores já garantirem as compras de fim de ano, os presentes, e todos já sabem os preços, pesquisam antes. O preço na Black Friday tem mesmo que ser diferenciado”, alertou.