Mateus foi quarta-feira (10) tirar as medidas para o 'capacetinho' (Divulgação)
publicidade - anuncie aqui

A campanha de financiamento coletiva iniciada em março deste ano pelos pais do pequeno Mateus Cerni Lima de Araujo, de apenas seis meses, conseguiu atingir seus objetivos iniciais.

Com a ação, os pais do bebê, Paulo Henrique de Araújo, 26, e Merly Caroline Cerni de Araújo, 23, angariaram os recursos necessários para adquirir a órtese craniana, conhecida como ‘capacetinho’, e cobrir os gastos do tratamento completo.

O casal residdente no Jardim Magali, em Itapira, adotou várias estratégias para arrecadar pelo menos R$ 15,6 mil – valor necessário para adquirir o equipamento, incluindo rifas e uma campanha online. Após a divulgação da história pelo Itapira News, no fim de março, a corrente solidária ganhou ainda mais força.

“Somos imensamente gratos a todos que nos apoiaram, pela atenção e pelo apoio do Itapira News”, enfatizou Merly. Ainda segundo eles, um empresário da região, que preferiu permanecer anônimo, se ofereceu para cobrir o custo da órtese craniana, permitindo que todo o dinheiro arrecadado com as rifas e a campanha online fosse direcionado para o tratamento.

Na tarde da última quarta-feira (10), o bebê viajou com os pais para São Paulo (SP), onde foram tiradas as medidas para a produção do ‘capacetinho’. O aparelho deve ficar pronto em até 15 dias.

O transporte para a primeira consulta na capital foi fornecido pela Prefeitura de Itapira. A expectativa é que Mateus use a órtese até dezembro, com retornos mensais à clínica paulista para os deviddos ajustes e sessões de fisioterapia.

“O capacete é para tratar a braquicefalia (assimetria da parte de trás da cabeça) dele, mas a médica explicou que ele também tem plagiocefalia (achatamento na parte posterior da cabeça), que pode ser corrigido com este capacete. No entanto, pode ser necessário um modelo diferente no próximo ano para corrigir essa outra assimetria”, explicou Paulo.

“Como mãe, sempre estamos preocupadas, mas a médica nos tranquilizou, dizendo que, como ele é ainda muito jovem, há tempo para corrigir sem a necessidade de cirurgia”, acrescentou Merly.

Expectativa é que Mateus use o ‘capacetinho’ até dezembro (Divulgação)

A urgência em adquirir o equipamento estava relacionada à necessidade de aproveitar o momento em que Mateus é um bebê. Conforme ele cresce, torna-se mais desafiador reposicionar a órtese, comprometendo sua eficácia.

A órtese craniana proporcionará uma contenção suave, permitindo o crescimento adequado do crânio e corrigindo seu formato sem causar desconforto.

A não correção da braquicefalia pode acarretar problemas futuros, como comprometimento da visão, dificuldades na mastigação e dores na articulação temporomandibular, além de afetar o campo visual.

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade - Anuncie aqui