Cachorro morreu na noite da última quinta-feira (Divulgação)

As causas da morte de um cachorro estão sendo investigadas em Itapira. A suspeita principal é que o animal tenha sido assassinado com ao menos um tiro na região da cabeça.

Ele foi encontrado morto na noite da última quinta-feira (19), segundo relatos de moradores e também da presidente da Uipa (União Internacional Protetora dos Animais), Maísa Fernandes.

A princípio, a suspeita era de que o cão teria morrido por atropelamento, mas em seguida foi percebida uma perfuração e nenhum outro ferimento no corpo. Policiais militares estiveram no local e registraram a ocorrência suspeita.

O cão de grande porte vivia há anos nas imediações de um condomínio de chácaras na região da divisa entre Itapira e Mogi Guaçu. Segundo uma frequentador do espaço, ele era tratado por diversas pessoas e não tinha dono.

“O ápice desta crueldade foi alguém chegar a disparar uma arma de fogo em uma área livre do condomínio, em uma rua, para matar um cachorro querido até mesmo por crianças”, lamenta um homem que também ajudava a cuidar do cão.

O cachorro era chamado por ‘Chiclete’ ou ‘Amigão’ e o caso vem gerando revolta e pedidos por justiça. Ele foi recolhido por uma equipe do CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) da Prefeitura e encaminhado a uma clínica veterinária para exames.

A suspeita é de que o projétil tenha partido de uma arma de pressão ou mesmo de um revólver calibre 32, mas a confirmação de que ele realmente foi baleado deve sair somente na próxima semana.

Em um vídeo compartilhado nas redes sociais, a presidente da Uipa, que também é vereadora, disse que aguarda o resultado dos exames no corpo do cachorro para avaliar quais medidas legais deverão ser adotadas para tentar identificar o autor do suposto disparo.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui