Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A partir desta terça-feira (7), os cidadãos brasileiros podem baixar um aplicativo lançado pela Caixa Econômica Federal que permitirá o cadastramento para receberem a renda básica emergencial, de R$ 600 ou de R$ 1,2 mil, no caso de mães solteiras.

O banco também lançou uma página na internet e uma central de atendimento telefônico para a retirada de dúvidas – o número é 111.

O aplicativo pode ser baixado gratuitamente, mesmo por pessoas sem crédito no celular, já que houve um acordo entre o governo e as empresas de telefonia.

O próprio aplicativo avalia se o trabalhador cumpre os cerca de dez requisitos exigidos pela lei para o recebimento da renda básica. O pagamento pode ser feito em até 48 horas depois que a Caixa Econômica receber os dados dos beneficiários.

Clique aqui para fazer a inscrição pelo site

Clique aqui para baixar o aplicativo para celulares Android

Clique aqui para baixar o aplicativo para iOS (celulares Apple)

Quem não tem conta em bancos poderá retirar o benefício em casas lotéricas. O benefício será depositado em contas poupança digitais, autorizadas recentemente pelo Conselho Monetário Nacional, e poderá ser transferido para qualquer conta bancária sem custos.

O calendário de pagamentos será anunciado na próxima semana, depois de o banco conhecer o tamanho da população apta a receber a renda básica emergencial.

Só precisarão se inscrever no aplicativo microempreendedores individuais (MEI), trabalhadores que contribuem com a Previdência Social como autônomos e trabalhadores informais que não estejam inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Caso o trabalhador esteja inscrito no cadastro único, o aplicativo avisará no momento em que ele digitar o número do Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).

  • Bolsa Família

Os beneficiários do Programa Bolsa Família não precisarão baixar o aplicativo, pois já estão inscritos na base de dados e poderão, entre os dias 16 e 30, escolher se receberão o Bolsa Família ou a renda básica emergencial, optando pelo valor mais vantajoso.