Primeira edição da caminhada reuniu mais de 200 pessoas (Paulo Bellini/Itapira News/Arquivo)
publicidade - anuncie aqui

Acontece neste sábado (20) em Itapira a segunda edição da Caminhada Azul organizada pelo Projeto Entrelaços como parte da campanha do Abril Azul, mês de conscientização sobre o autismo.

O evento terá concentração às 9h00 na Praça Bernardino de Campos e a saída está prevista para as 9h30, percorrendo um trajeto que inclui as ruas José Bonifácio e Alfredo Pujol, com destino final no Parque Juca Mulato.

A expectativa é que o grupo chegue ao Parque Juca Mulato às 10h30, dando início as atividades do Festaract – evento cultural promovido pelo Interact.

A ação também tem como objetivo arrecadar alimentos não perecíveis para doação às mães de crianças autistas, que fazem parte do projeto e que estão em situação de vulnerabilidade social. Os participantes que doarem alimentos receberão camisetas personalizadas.

A caminhada, assim como os demais eventos da programação especial do mês, conta com a parceria do CDCA (Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente) da 95ª Subseção da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) em Itapira.

Os interessados em conhecer mais sobre o trabalho desenvolvido pelo Projeto Entrelaços em Itapira podem acompanhar o perfil oficial no Instagram.

  • ABRIL AZUL

Além da caminhada, o Projeto Entrelaços organizou um simpósio sobre autismo e inclusão nas dependências da Escola Ativa, na Rua Hildebrando José Rossi, 500, bairro Santa Fé, no dia 6 de abril.

O Abril Azul foi estabelecido pela ONU (Organização das Nações Unidas) como uma forma de conscientizar as pessoas sobre o autismo, assim como dar visibilidade ao TEA (Transtorno do Espectro Autista) na sociedade.

Segundo a OMS, uma em cada 160 crianças no mundo tem o transtorno. O autismo funciona em níveis, de forma leve até uma forma mais severa, e pode ser identificado ainda nos primeiros anos de vida, embora o diagnóstico de um profissional seja dado apenas entre os 4 e 5 anos de idade.

Algumas características como dificuldade de interação social, dificuldade em se comunicar, hipersensibilidade sensorial, desenvolvimento motor atrasado e comportamentos repetitivos ou metódicos podem identificar a presença do TEA.

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade - Anuncie aqui