O pequeno Piettro com o pai, Thieres: família conta com a solidariedade da população (Paulo Bellini/ItapiraNews)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Um drama aflige a vida do casal Thieres Oliveira e Natália Mattos em Itapira. O primeiro filho deles, Piettro – atualmente com 10 meses de idade – possui duas síndromes raras que afetam diretamente sua visão e sua pele.

Os altos custos do tratamento motivaram uma campanha para arrecadar recursos e ajudar a família com deslocamentos, medicamentos e exames.

Piettro nasceu prematuro em março de 2019. Passou os primeiros dias de vida na incubadora e teve alta com nove dias. Logo, os pais perceberam que algo não estava bem. Ele não abria os olhinhos.

Uma consulta no Hospital das Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) revelou a presença da Síndrome de Peters, anomalia que provoca uma má-formação do segmento anterior dos olhos.

Com apenas três meses, já foi submetido a uma cirurgia para transplante de córnea no olho esquerdo. Após a alta, a presença de algumas manchinhas no rosto e os pezinhos inchados motivou encaminhamento ao dermatologista.

Mais uma notícia ruim. O bebê foi diagnosticado também com a Síndrome de Rothmund Thompson, doença rara associada a problemas visuais como a catarata e outros problemas relacionados também a anormalidades ósseas e ausência de cílios e sobrancelhas.

“No mundo há, no máximo, 300 casos. Na Unicamp, nosso filho é o segundo paciente com essa doença. Ele não pode tomar sol, a pele dele é muito sensível e, em vez de suar, ele aquece, o que provoca bolhas pelo corpo”, comenta o pai do menininho.

É por isso tudo que a família precisa de ajuda. Na internet, foi criada uma campanha de arrecadação virtual de doações financeiras pela plataforma Vakinha. O bebê faz uso contínuo de cremes especiais, dos quais a Unicamp fornece apenas frasco pequenos, de amostras grátis. “Infelizmente não temos qualquer tipo de auxílio do poder público, nem de nenhum órgão da Prefeitura”, lamenta o pai.

Piettro também precisa de exames que o SUS (Sistema Único de Saúde) não cobre, além de consultas na Unicamp com transporte especial – precisa ser único e dotado de ar condicionado. As consultas ocorrem durante três dias seguidos a cada dois meses em Campinas (SP).

As ajudas partem desde a doação dos cremes (referência abaixo) e também de fraldas, até rifas e a doação pela campanha virtual. Para doar qualquer quantia por meio da Vakinha, clique aqui. Para manter contato diretamente com a família e ajudar de outras formas, o telefone é (19) 9.9548-2717.