Vivian Nicolai fez explanações sobre o evento (Paulo Bellini/ItapiraNews)
publicidade

A sede da Acei (Associação Comercial e Empresarial de Itapira) foi palco do lançamento da campanha ‘Sinal Vermelho’ na noite da última segunda-feira (18).

Com palestra dirigida principalmente aos comerciantes da cidade, a advogada Vivian Nicolai, presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB (Ordem dos Advogados de Itapira, e o prefeito Toninho Bellini (PSD), explicaram sobre o funcionamento da iniciativa.

A secretária municipal de Promoção Social, Regina Ramil Marella, também participou e detalhou o programa que amplia a rede de proteção e ajuda a mulheres vítimas de violência.

O projeto é encabeçado pelo CREM (Centro de Referência Especializado da Mulher) em parceria com a Secretaria Municipal de Promoção Social.

Cerca de 30 comerciantes da cidade receberam orientações sobre como interpretar um sinal de ‘X’ desenhado na palma da mão com batom ou mesmo em um papel como um possível pedido de ajuda.

Autoridades participaram do evento na Acei (Paulo Bellini/ItapiraNews)

O projeto já existe em nível nacional. Os participantes do evento receberam cartilhas e tutorais sobre como agir nestes casos, seguindo orientações necessárias ao atendimento da vítima e ao acionamento da Polícia Militar ou da GCM (Guarda Civil Municipal), de acordo com um protocolo previamente estabelecido.

“Ano passado já havíamos apresentado o projeto às farmácias da cidade, agora começamos com os comerciantes em geral. Neste sábado também vamos fazer uma ação na Rua José Bonifácio, entregando cartazes aos comércios e depois vamos expandir para empresários e também repartições públicas”, explicou Vivian.

  • A Campanha

O protocolo da campanha orienta sobre como os atendentes devem se portar caso se deparem com a situação. Em primeiro lugar, quando a mulher mostrar o sinal, é importante agir de forma reservada e registrar o nome, telefone e endereço da possível vítima.

Feito isso, o próximo passo é ligar para a polícia e conduzir a vítima a um espaço reservado para que ela aguarde a chegada das autoridades. Caso a vítima não deseje acionar a polícia no momento, é preciso respeitar sua vontade.

Projeto apresentou orientações acerca de campanha (Paulo Bellini/ItapiraNews)

Entretanto, após a saída dela do estabelecimento, o atendente deve transmitir as informações coletadas às autoridades. Para a segurança de todos os envolvidos na operação, o sigilo e discrição são de extrema importância.

A pessoa responsável pela denúncia não será encaminhada para servir de testemunha. O evento na Acei também teve a presença do vice-prefeito Mário da Fonseca (PSL), além de secretários municipais, representantes da PM (Polícia Militar) e da GCM e servidores do CREM.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui