Monitoramento é feito em parceria com o Instituto Butantan (Instituto Adolfo Lutz/Divulgação)

A cidade de São Paulo iniciou estudos para monitorar quais variantes do novo coronavírus estão circulando na capital.

A preocupação da Secretaria Municipal da Saúde é, principalmente, com a variante indiana, que vem provocando aumento no número de casos na Índia.

Em coletiva na manhã da última terça-feira (18), o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido, disse que a ação tem o objetivo de preparar a capital com antecedência para a chegada da variante indiana.

O monitoramento está sendo feito em conjunto com o Instituto Butantan. “Já fizemos coletas de testes sorológicos que estão sendo agora estudados pelo Instituto Butantan”, disse o secretário. “A cidade está se antecipando para, caso isso aconteça, medidas sanitárias sejam tomadas.”

A expectativa é que em até 20 dias os resultados do monitoramento sejam apresentados. Um estudo feito em março deste ano, durante o pico da segunda onda da pandemia, mostrou que 65% dos casos de Covid-19 detectados na capital tinham predominância da variante brasileira P1, que surgiu em Manaus.

  • VARIANTE INDIANA

Casos da variante indiana já foram identificados na Argentina. Recentemente, um navio foi isolado no Maranhão, após um passageiro indiano apresentar resultado positivo para a covid-19.

A preocupação é que este pode ser o primeiro caso da variante B.1.617 [ a variante indiana] no Brasil. No Maranhão, uma equipe técnica inspecionou o navio no domingo e coletou amostras para diagnóstico de Covid-19 e investigação epidemiológica.

As amostras foram enviadas ao Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão e para o Instituto Evandro Chagas, em Belém, que fará o sequenciamento genômico. Toda a tripulação foi colocada em quarentena e isolada em cabines individuais na embarcação. Os resultados desses testes ainda não foram informados.

Publicidade - Anuncie aqui