Casa da Cultura abriga mostra gratuita que leva espectador ao passado

Mostra está disponível para visitação gratuita até o dia 22 deste mês

Foi aberta na noite do último domingo (3), na Casa da Cultura ‘João Torrecillas Filho’ a exposição ‘Mapas Sentimentais – Histórias do Parque’. A mostra interativa traz – através de depoimentos escritos e em vídeo, fotos, mapas e desenhos – lembranças do Parque Juca Mulato de pessoas de diferentes gerações. Idealizadora do projeto, a professora doutora em Arquitetura e Urbanismo do Unasp (Centro Universitário Adventista de São Paulo), Raissa Pereira Cintra de Oliveira, lembrou de todo processo que levou à realização da mostra, iniciado ainda em 2003, quando ela fez as primeiras entrevistas documentais.

“Eu fiz as primeiras entrevistas com alguns familiares e com o Jácomo Mandato, ainda vivo na época. Nestas idas e vindas percebi que o único local que ainda seria possível identificar um conjunto arquitetônico importante era o Parque Juca Mulato. E se tornava o lugar mais relevante da cidade, uma vez que nas entrevistas percebia uma sobreposição de memórias das várias gerações até os dias de hoje. Depois de 15 anos o Unasp me deu a oportunidade de trabalhar como professora e pesquisadora e houve, pela primeira vez, um diálogo com a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo que logo aprovou a proposta de trabalharmos juntos”, disse.

Exposição gratuita está disponível em Itapira (Divulgação)

A exposição faz parte do trabalho de Extensão Universitária realizado no segundo semestre de 2017 do curso de Arquitetura do Unasp e foi desenvolvido por um pequeno grupo de alunos que se propôs a inventariar bens arquitetônicos. Em junho deste ano, a professora Raissa procurou a Secretaria de Cultura e Turismo para apresentar seu projeto e, firmada a parceria, o trabalho passou a ser realizado junto com os alunos de terceira à quinta-série das escolas municipais durante a Semana Juca Mulato e também com algumas pessoas que foram entrevistadas.

“Nós só temos a agradecer a Raissa e ao Unasp pela parceria que resultou nesse trabalho incrível de resgate de memórias. É uma volta ao tempo e uma oportunidade de ver como era o parque em épocas passadas através desses depoimentos”, disse o secretário de Cultura e Turismo, Tiago Fontolan. A mostra fica em exibição até o dia 22 durante o expediente da Casa da Cultura, que é de segunda a sexta-feira, das 08h00 às 11h30 e das 13h00 às 17h00. A entrada é franca.