Maurício Guil se apresenta na Casa das Artes (Fábio Zangelmi/Divulgação)
publicidade

A Casa das Artes de Itapira recebe nesta sexta-feira (20) uma apresentação do violonista itapirense Maurício Guil que marca o lançamento de seu primeiro álbum autoral, ‘Solo Nascente’.

O evento começa às 20h00 e tem participação especial de Eduardo Pereira. A entrada é gratuita e a classificação etária é livre. O show integra uma série de eventos de lançamento do disco.

Na sexta-feira passada, dia 13, Maurício Guil se apresentou em Campinas (SP), no Pavão Cultural. Já na última quarta-feira (18), o show foi no Teatro Tupec do Centro Cultural de Mogi Guaçu (SP).

Depois do show em Itapira, uma apresentação derradeira também deverá acontecer em Socorro (SP), em data ainda a ser confirmada.  Com duração aproximada de 75 minutos, a apresentação traz o repertório do álbum que contempla 11 composições que bebem na fonte de diferentes ritmos brasileiros e latino-americanos.

Viabilizado por meio de recursos obtidos por meio do ProAC (Programa de Ação Cultural) da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o disco foi gravado entre maio e junho do ano passado, com direção musical do também violonista e compositor Ulisses Rocha.

O primeiro disco autoral do artista é resultado da sua vivência e da prática em relação à tradição do violão solo e do violão popular no Brasil e nas Américas.

Cada uma das composições de ‘Solo Nascente’ é dedicada ou inspirada por violonistas e compositores que, de forma direta ou indireta, contribuíram para a construção de uma leitura da música brasileira através do violão e que motivaram o artista a contribuir ativamente para essa tradição por meio de sua obra.

Gravado durante um dos picos da pandemia, ‘Solo Nascente’ acabou ganhando um caráter ainda mais intimista que já era esperado por se tratar de um álbum de composições para violão solo.

Muitas das composições já existiam antes do início do projeto, mas também surgiram outras durante o período da pandemia e que trazem uma experiência diferente de um músico popular que já não mais estava fazendo música em conjunto com outros músicos, como acontecia habitualmente antes da pandemia”, conta Guil.

  • SOBRE O ARTISTA

Graduado em Música Popular pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), Maurício Guil se apresenta desde 2013 na cena musical de Campinas e região, seja como músico acompanhante ou solista.

Durante os anos de estudos na Unicamp, o violonista se apresentou em diversos recitais dedicados ao violão e também acompanhando outros músicos. Em 2015 participou do da décima sexta edição do FEIA (Festival do Instituto de Artes) com o recital ‘América Latina em 7 cordas’, apresentando arranjos e adaptações de sua autoria de clássicos do cancioneiro latino-americano para o violão de sete cordas.

Foi monitor no XIV Festival Vale do Café em Vassouras (RJ), auxiliando os professores Ulisses Rocha e Turíbio Santos. Participou como músico acompanhante do 16º Prêmio Nabor Pires Camargo na cidade de Indaiatuba (SP) ao lado do bandolinista André Ribeiro, em 2017.

Foi finalista do 17º Prêmio Nabor Pires Camargo em 2018, interpretando dois arranjos de sua autoria. No mesmo ano teve duas composições de sua autoria premiadas pelo 1º Prêmio MAIA de Música Autoral.

Além do Trio Macaxeira, Maurício Guil também integra o conjunto Regional da Vila, grupo formado com a configuração tradicional de um regional de choro, pelo qual também desenvolveu um programa de rádio intitulado ‘Caminhos do Choro’, em parceria com a Web Rádio RTV-Unicamp.

Em 2020, com o Trio Macaxeira, participou do Festival Cultuar, promovido pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Unicamp. Em 2021, Guil foi o vencedor do concurso nacional ‘Samba & Violão’ promovido pela Yamaha Brasil. Atualmente é aluno do Mestrado em Performance Musical e Estudos Instrumentais na Unicamp.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui