Homem é do Paraná, mas boato se espalhou no interior paulista (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Homem é do Paraná, mas boato se espalhou no interior paulista (Reprodução)
Homem é do Paraná, mas boato se espalhou no interior paulista (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui

O caso envolvendo um homem que supostamente teria ameaçado invadir uma escola e cometer uma chacina não tem qualquer relação com as cidades de Mogi Mirim ou Mogi Guaçu, como cita mensagens falsas divulgadas em redes sociais como Facebook e no aplicativo Whatsapp.

As informações começaram a circular na última segunda-feira (8). Mensagens em texto, áudios e uma foto do homem rapidamente se espalharam, gerando um clima de pânico entre muitas pessoas. As falsas mensagens afirmam que o homem já teria matado duas crianças em Mogi Guaçu e que estaria disposto a invadir uma escola para cometer mais assassinatos e, assim, “ficar famoso em todo o Brasil”.

As informações, na verdade, são parcialmente procedentes e se referem a um caso que vem se desenrolando no Norte do Paraná, mais precisamente em cidades como Siqueira Campos, Joaquim Távora e Quatiguá. De acordo com o site NP Diário, o homem da foto é Willians de Jesus Bubna, 32, que apesar de já ter ficado preso por 10 anos pela acusação de homicídio, não está sendo “caçado pela polícia”, como afirmam as mensagens. Por conta das supostas ameaças, ele chegou a ser agredido por populares.

O homem, inclusive, gravou um vídeo (abaixo) em que desmente as acusações, afirmando que não fez qualquer ameaça. Segundo o site, ele já é conhecido nos meios policiais da região paranaense, onde costuma se envolver “em confusões”. Escolas da localidade chegaram a suspender as aulas, ainda segundo o NP Diário. No vídeo, ele diz que está trabalhando e garante que não fez qualquer ameaça de atentado. Ainda assim, o delegado de Joaquim Távora pediu a prisão preventiva do suspeito.