Castramóvel ainda aguarda para começar a funcionar (ItapiraNews/Arquivo)

O Castramóvel deverá começar a funcionar até março próximo. É o que afirma a Prefeitura de Itapira em nota divulgada nesta quinta-feira (14).

Segundo a administração, os trâmites legais e burocráticos que permitem o início do serviço estão em fase final e a previsão.

“Assim que o projeto receber a aprovação do CRMV (Conselho Regional de Medicina Veterinária) – que deve levar até sessenta dias – o trabalho será iniciado”, diz o texto.

O equipamento foi conquistado pela agora ex-vereadora Professora Marisol (PSDB) durante seu mandato na Câmara. De início, estão previstas mil castrações e a lista de tutores beneficiados – cuja prioridade serão os de baixa renda – ainda será divulgada. Além da castração, os animais também receberão microchips de identificação.

“Os cadastros de interessados já foram realizados e a demanda está sendo organizada pela equipe da Patrulha Ambiental e Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente para que sejam montados os itinerários. Todo o processo também está sendo realizado em parceria com as ONGs de causa animal do município”, afirma a Prefeitura.

  • REUNIÃO

Pela manhã, o prefeito Toninho Bellini (PSD), acompanhado com o vice-prefeito Mário da Fonseca (PSD) se reuniu com o diretor de Orçamento e Gestão, Valteir Ferreira de Freitas, com as patrulheiras ambientais Paula de Souza Guimarães e Anita de Cassia Sbegue e com a vereadora Maísa Fernandes (PSD), além da responsável técnica da empresa A A Mazon, vencedora da licitação para realizar as castrações, Gabriella Fiordelisio.

Reunião na Prefeitura discutiu situação do Castramóvel e do Caami (Divulgação)

O encontro serviu para debater tanto o início das operações do Castramóvel quanto a situação do CAAMI (Centro de Acolhimento de Animais de Itapira), outra conquista atribuída à Professora Marisol.

Segundo a administração, uma “breve vistoria” feita no local revelou alguns problemas na obra, como falta de ralos, goteiras, falta de proteção do sol forte nas baias, por exemplo, “que impedem seu funcionamento imediato”.

“A equipe já está fazendo o levantamento de quais providências são necessárias para que a obra passe pelas adequações necessárias para receber os animais”, diz a Prefeitura.

Publicidade - Anuncie aqui