José Fernando Cestari durante primeira sessão de hemodiálise em Itapira: alegria cativante (Paulo Bellini/ItapiraNews/Arquivo)
publicidade - anuncie aqui

Um dos primeiros pacientes a ser atendidos no Centro de Hemodiálise de Itapira, o saudoso José Fernando Cestari será homenageado como patrono do equipamento inaugurado no dia 18 de março deste ano.

Depois de se tornar um dos símbolos do início da operação do espaço de terapia renal no município, inclusive concedendo entrevistas, ele acabou falecendo, na semana seguinte, em decorrência de outro problema de saúde.

O PL (Projeto de Lei) que denomina o equipamento público foi enviado à Câmara Municipal na semana passada pelo prefeito Toninho Bellini (PSD). Na presença de familiares do homenageado, o texto foi chamado à ordem do dia e aprovado por unanimidade.

Emocionada, a filha de José Fernando, Thaís Cestari, lembrou que o pai era uma pessoa que vivia sempre sorridente e de bem com a vida apesar das adversidades.

“Nós ficamos muito sensibilizados por essa lembrança que vai eternizar o nome do meu pai. O Centro de Hemodiálise em Itapira foi uma coisa que ele sempre sonhou e isso renovou as esperanças dele. Ele esperou, torceu, viu ser concretizado e foi o primeiro paciente. Ele ficou muito feliz”, disse.

Ela lembrou que logo após iniciar o tratamento em sua própria cidade – depois de quatro anos fazendo hemodiálise em Mogi Mirim (SP) – o pai elogiou bastante a estrutura de atendimento e a equipe médica e de enfermagem.

“Estamos muito tristes pela sua partida, mas por outro lado ficamos felizes com essa homenagem. Até do sorriso dele falaram, porque o sorriso dele emanava gratidão”, completou Thaís.

Familiares de Cestari acompanharam sessão que aprovou a homenagem (Paulo Bellini/ItapiraNews)
  • TRAJETÓRIA

José Fernando Cestari nasceu em Itapira em 1953, filho de Áttila e Nina Cestari. O segundo filho de uma família de quatro irmãos sempre residiu no município e logo cedo começou a trabalhar em uma concessionária de tratores do seu pai.

Depois trabalhou em uma agência de turismo e ingressou no Itaú, onde ficou por quase 30 anos. Ao sair, abriu um negócio próprio e, posteriormente, ingressou no Laboratório Cristália, onde se aposentou.

Com a esposa Wandorly Aparecida de Mello teve dois filhos, Thaís e Thiago. Pai amoroso, nunca mediu esforços pela sua família, à qual ensinou valores importantes. Se tornou avô com os nascimentos de Beatriz e Enrico e bisavô de Nicolly.

Em 2012 iniciou uma batalha contra problemas renais e um tumor exigiu a remoção de seu rim esquerdo. Anos mais tarde, o rim direito começou a demonstrar sinais de sobrecarga, sendo necessário o início de tratamento para preservar o órgão.

Foram anos de acompanhamento, ajustes intermináveis na alimentação, buscas por terapias alternativas para reverter o quadro e muita fé. No início de 2020 iniciou hemodiálise e, ao longo de quatro anos, se deslocava três dias na semana para Mogi Mirim (SP), onde fazia o tratamento.

“Desde que tomou conhecimento de que um Centro de Hemodiálise seria aberto em Itapira, seu coração se encheu de esperança. Era o principal torcedor para que esse projeto se concretizasse. Acompanhou toda a luta para que o Centro de Hemodiálise fosse inaugurado na nossa cidade e foi o primeiro paciente a iniciar o tratamento no espaço, vindo a conceder inúmeras entrevistas com o maior orgulho e emoção”, destacou o prefeito na mensagem anexa ao projeto enviado à Câmara.

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade - Anuncie aqui