Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Um homem que passava de bicicleta pela Rua Ari Wilson Cremasco, na região do Jardim Soares, acabou impedindo que uma mulher se jogasse de uma passarela sobre o Ribeirão da Penha.

O caso aconteceu no início da noite deste sábado (9). Alex Marques Leite Calil, de 47anos, resolveu parar no local quando estranhou a presença de uma criança e de uma mulher na ponte metálica, destinada a pedestres, que liga a via com a Rua Fenízio Marchini.

Mantenha-se bem informado: curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e também pelo Twitter

Quando percebeu o que ocorria, já tratou de agarrar o braço da mulher, que já estava com quase todo o corpo para fora do gradil, no ponto mais alto, bem no meio do rio.

“O menino estava desesperado e ela também. Consegui segurar ela e fui acalmando. Passaram outras pessoas e pedimos socorro para a Polícia Militar e Guarda Civil Municipal”, contou.

Homem atuou rapidamente e conseguiu salvar a mulher (Paulo Bellini/ItapiraNews)

Ele disse que a mulher, que aparentava ter entre 45 e 50 anos, relatou que havia ingerido grande quantidade de comprimidos. O menino que estava no local foi embora antes que ele soubesse quem ele era e se teria alguma ligação com a pessoa que socorria.

Logo chegaram as viaturas da Defesa Civil e do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e a mulher, felizmente, foi conduzida ao atendimento médico no Hospital Municipal.

“Fiquei feliz por poder ajudar. Saí para pedalar um pouco perto de casa e me deparei com essa situação, então acho que estava predestinado a isso. Não sei se outra pessoa teria percebido a situação e voltado para ver o que estava acontecendo. Sorte que eu vi e estranhei e resolvi ir ver de perto”, disse.

  • AJUDA

Vale lembrar que o CVV (Centro de Valorização da Vida) possui um serviço de apoio emocional a pessoas que estejam passando por dificuldades e que visa prevenir casos de suicídio.

É possível entrar em contato a qualquer hora do dia ou da noite para conversar, sob total sigilo, pelo telefone 188, pelo e-mail [email protected] ou pelo chat disponível no site www.cvv.org.br.