Leonardo teve ferimentos no pescoço e ainda lesões em razão da queda da bicicleta (Paulo Bellini/ItapiraNews)

Por muita sorte, um ciclista de 18 anos não sofreu ferimentos mais graves ao ser atingido no pescoço por uma linha com cerol.

O caso aconteceu na tarde da última segunda-feira (16) na Avenida Governador Mário Covas, no Istor Luppi.

Leonardo Rodrigues Dezoti Ferraz transitava de bicicleta pela via, retornando do trabalho por volta das 14h00, quando sentiu algo ‘correr’ em seu pescoço, seguido de uma sensação de queimadura.

Imediatamente ele percebeu que se tratava de uma linha com cerol, como é chamada a  substância cortante feita com cola e caco de vidro moído. Assustado, ele tentou puxar a linha com uma das mãos, mas não conseguiu.

“Quando senti a linha de pipa no meu pescoço eu fiquei desesperado e tentei puxar com a mão esquerda,  mas não estava conseguindo. Então, soltei a mão direita da bicicleta para puxar a linha e acabei caindo da bicicleta”, conta.

Jovem voltava do trabalho quando foi atingido por linha com cerol (Paulo Bellini/ItapiraNews)

Com a queda, ele também sofreu lesões nas pernas e braços. Já a linha com cerol provocou um corte em seu pescoço, que felizmente não foi mais profundo.

De acordo com o ciclista, a pipa estava presa em um poste com a linha solta no meio da avenida. Populares que passavam pelo local auxiliaram o jovem e chamaram seu pai, o autônomo Daniel Ferraz, de 52 anos.

Ao longo da semana, ele passou por consultas médicas em razão de fortes dores no local em que a linha ‘correu’. “Agora estou tomando medicamentos antibióticos e anti-inflamatórios”, enfatiza.

  • INDIGNAÇÃO

O pai do jovem demonstra indignação com o ocorrido e cobra mais consciência das pessoas e fiscalização por parte das autoridades.

“Nossa família poderia estar em luto agora. Se fosse alguém de moto passando, a situação teria sido muito mais grave”, analisa.

“Precisamos de mais fiscalização aqui no bairro”, complementa Daniel ao relatar que as pipas são muito frequentes na região especialmente aos finais de semana.

Pai de Leonardo, Daniel, faz alerta e pede mais fiscalização: “poderíamos estar em luto” (Paulo Bellini/ItapiraNews)

“O problema não é soltar pipa, isso nós já fizemos na infância, o problema é usar linha com cerol, isso mata e é crime”, pondera.

De fato, as substâncias cortantes em linhas de pipas é proibido por lei desde 2019 no Estado de São Paulo, com veto ao uso, posse, fabricação e comercialização da mistura. A pena pelo descumprimento pode gerar multa de até R$ 132 mil.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui