Publicidade    
Rua do Jardim Xangai, local em que ocorreu um dos 13 homicídios e Campinas (Dorinaldo Oliveira/AAN/Correio Popular)
Rua do Jardim Xangai, local em que ocorreu um dos 13 homicídios e Campinas (Dorinaldo Oliveira/AAN/Correio Popular)
Publicidade - Anuncie aqui

Foram presos temporariamente, cinco policiais militares suspeitos de participar de uma série de assassinatos em Campinas, no interior paulista. Na madrugada do último dia 13 foram registradas 12 execuções na mesma região, nas partes oeste e sudeste da cidade. A maioria das vítimas foi morta em duas chacinas.

Os relatos são de homens encapuzados que usaram pistolas .380 e 9 milímetros para disparar contra a cabeça e rosto das vítimas. Foram recolhidas 15 cápsulas do local onde quatro pessoas, entre 17 e 30 anos, foram mortas no Recanto do Sol 2. No bairro Vida Nova, também na periferia de Campinas, cinco pessoas, entre 20 e 24 anos, foram assassinadas em um único ataque. As demais três vítimas foram mortas sozinhas.

Há a suspeita de que as mortes sejam uma vingança contra a morte de um policial militar que reagiu a um assalto no dia 12 à tarde. Pelo menos seis das vítimas tinham antecedentes criminais por delitos como tráfico de drogas, homicídio e roubo de veículos.

As investigações estão sendo acompanhadas pelo Ministério Público estadual e pelo  Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil, com apoio da Corregedoria da Polícia Militar. A apuração continua e mais detalhes sobre as prisões serão fornecidos amanhã (30) pela Secretaria de Estado de Segurança Pública de São Paulo.

Agência Brasil