Evento acontece simultaneamente em diversas cidades (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

O Circuito Sesc de Artes confirmou que sua edição 2019 novamente terá parada em Itapira. O evento acontecerá no dia 29 de março – sexta-feira – sendo o primeiro da região, seguido por Mogi Guaçu (30) e Mogi Mirim (31).

O palco para as atividades em Itapira será o Parque Juca Mulato. O Circuito Sesc de Artes é um evento itinerante que circula por centenas de cidades paulistas, no interior e no litoral, proporcionando uma experiência diferenciada no cotidiano das pessoas, com intervenções artísticas ao longo do dia em praças e parques públicos.

Todas as atrações são gratuitas, abertas ao público e têm classificação etária livre. As programações são divididas em roteiros que se alternam de acordo com cada cidade e região. Neste ano, o roteiro de Itapira será o mesmo de Mogi Mirim e Mogi Guaçu.

Ao todo, o Circuito Sesc de Artes passará por 121 municípios, reunindo quase 500 artistas distribuídos em 14 roteiros que incluem apresentações musicais, circenses, de dança, teatro, artes visuais, literatura, tecnologia e artes em geral. Na região, além da Baixa Mogiana, as cidades que também receberão o evento neste ano são Americana (12/04), Indaiatuba (13/04) e Santa Bárbara D’Oeste (14/04).

Confira a programação completa do evento em Itapira:

  • Música – DJ EVELYN CRISTINA

Durante todo o dia a DJ Evelyn agita o público com repertório que passeia por ritmos do samba rock à eletrobossa, passando pelo maracatu, afrobeat e pela música negra dos séculos 20 e 21.

  • Cinema – CINEGRAFIA: A PANTERA COR-DE-ROSA

Com Lise + Barulhista. A sessão resgata o início do cinema, quando os filmes mudos eram acompanhados por músicos que executavam a trilha ao vivo. A Pantera Cor-de-Rosa surgiu na introdução do filme de 1964, mas acabou ganhando uma série de animação que fez sucesso no mundo todo. Os músicos seguem os movimentos do felino rosa e brincam com o conhecido tema da personagem.

  • Música – QUINTAL DOS PRETTOS

Com Dupla Prettos Magnu Sousá e Maurílio de Oliveira. O projeto relembra as famosas rodas de samba da década de 1980. O público pode esperar composições conhecidas e animação, com um quintal de samba em plena praça.

  • Dança – TRAMAR – ENTRE TRANÇADOS DE SONS E GESTOS

Com Coletivo TraMar. A brincadeira indígena “Ketinho Mitselü” é a origem do que conhecemos como cama de gato e também o que inspira o grupo no espetáculo que mistura dança, música e artes visuais. Os artistas usam a arquitetura e os elementos da praça para a instalação, em que os fios criam o percurso dos movimentos para interagir corpo e espaço. Depois da apresentação, a instalação fica aberta para o público se aventurar entre os fios.

  • Artes Visuais – OFICINA DE FANZINES E LAMBE-LAMBES

Com Fala Cidade. A partir de jogos de palavras e brincadeiras poéticas, os participantes vão produzir seus próprios fanzines e lambe-lambes com poemas e ilustrações criados por eles mesmos. A proposta é reunir técnicas de artes plásticas e poesia em uma espécie de sarau criativo e colaborativo, para que cada grupo de participantes explore as potencialidades dessas mídias populares e alternativas.

  • Tecnologias e Artes – CÂMERA FOTOGRÁFICA GIGANTE

Com Cidade Invertida. Os participantes vão entrar em uma câmera para conhecer o processo fotográfico por dentro, descondicionando o olhar no cotidiano, ao observar a formação da imagem invertida em uma câmera tradicional, e propor novas maneiras de perceber e registrar imagens estáticas e em movimento.

  • Circo – CIRCO DEMOCRÁTICO DA BÉLGICA

Com Companhia Pol & Freddy. Um cabaré onde, aparentemente, tudo pode acontecer: malabarismo com pratos, sapateado com botas de esqui ou um salto de quatro metros de altura em uma piscina de 30 centímetros. O público interage democraticamente, ao votar para decidir a forma e o conteúdo da apresentação, ao mesmo tempo em que os artistas exploram, com bom humor, certas tendências ditatoriais da minoria.