Gasparini foi eleito com apenas 19 anos para seu primeiro mandato como vereador em Mogi Mirim (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Natural de Itapira, o estudante de Direito João Victor Gasparini foi o mais jovem vereador eleito em Mogi Mirim.

Com apenas 19 anos, ele obteve 836 votos, encerrando sua primeira campanha como o quinto candidato mais votado da cidade e o primeiro entre os nomes lançados pelo DEM.

Até então, o posto de mais jovem vereador eleito na cidade pertencia a Antônio Guarnieri, falecido em 2009, e que se elegeu pela primeira vez em 1972 aos 20 anos de idade.

Mantenha-se bem informado: curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e também pelo Twitter

O novo recorde a partir da eleição de Gasparini resultou em diversas entrevistas concedidas ao longo da semana pós-eleições, além de compromissos já relacionados ao futuro parlamentar.

Sua campanha foi pautada pela valorização da presença do jovem na discussão política. O jovem interagiu nas redes sociais e demonstrou disposição invejável para levar suas propostas em todos os bairros da cidade. “Fui batendo de porta em porta, visitando desde portas de fábricas no início da manhã e barzinhos à noite”, destaca.

O jovem vereador com a mãe Tatiana: ambos itapirenses (Divulgação)
  • HISTÓRIA

João Victor Gasparini nasceu em Itapira por um desejo de seu pai, o jornalista Fernando Gasparini, que possui longo histórico de serviços prestados em veículos de comunicação no município. Fruto do casamento com a microempresária Tatiana Coutinho Ferian, também natural de Itapira, o vereador eleito nasceu na Santa Casa no dia 11 de abril de 2001.

“Durante 17 anos eu frequentei a ceia da véspera de Natal na Clausura da Santa Casa de Itapira, junto da Irmã Angélica, Irmã Odila e as demais irmãs. Quando Tatiana ficou grávida do João Victor, Irmã Angélica se colocou na condição de ‘madrinha’ dele. Isso tudo reforçou em mim a ideia de ter meus dois filhos em Itapira, os dois na Santa Casa. Além disso, minha mãe é itapirense, minha esposa é itapirense e eu me considero um filho adotivo de Itapira”, detalhou Fernando.

Publicidade - Anuncie aqui