Cidades paulistas poderão apresentar projetos de até R$ 550 mil por ano para realização de obras voltadas ao turismo local (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Nos últimos anos, o turismo teve uma importante participação no Produto Interno Bruto (PIB) de São Paulo. O setor foi responsável por 10% de toda a arrecadação estadual e está trazendo cada vez mais oportunidades de renda para diversas atividades dos municípios.

Pensando nisso, em maio de 2017, foram sancionadas duas leis que oficializaram 20 cidades paulistas classificadas como Município de Interesse Turístico (MIT). O objetivo da iniciativa é oferecer recursos, por parte do governo do Estado, destinados a investimentos de infraestrutura turística.

Com cerca de 550 mil reais por ano, a verba deve fomentar a ampliação e o fortalecimento das atividades econômicas da região. “Recebemos mais de 50 milhões de turistas por ano e três milhões de famílias paulistas já vivem do setor. Esse número vai crescer muito com a abertura desses novos destinos e a multiplicação de pontos de atração de turistas”, afirma o governador Geraldo Alckmin.

No primeiro decreto, foram definidos como MIT as cidades de Agudos, Barretos, Brodowski, Buritama, Espírito Santo do Pinhal, Guararema, Iacanga, Jundiaí, Martinópolis, Monte Alto, Pedreira, Piedade, Rifaina, Rubineia, Sabino, Sales, Santa Isabel, Santo Antonio da Alegria, Tapiraí e Tatuí.

Conforme divulgado recentemente, a documentação para que Itapira seja classificada como MIT também já foi aprovada e o projeto aguarda apreciação da Assembleia Legislativa. “Os números do turismo no Estado de São Paulo são impressionantes, uma vez que movimentam até 56 setores da economia e é o único Estado da federação com políticas públicas voltadas à atividade turística. Isto porque o governo paulista acredita no turismo como vetor de desenvolvimento social e econômico”, contempla o secretário de Estado de Turismo, Fabrício Cobra.

Todas as cidades, exceto as 70 Estâncias já existentes, podem integrar a esse grupo. Para participar, os municípios devem preencher alguns critérios, como ter potencial turístico; Conselho Municipal de Turismo; serviço médico emergencial; meios de hospedagem; serviços de alimentação, de transporte, de segurança e de informação e receptivo turísticos; plano diretor de turismo; expressivos atrativos com acessos adequados e infraestrutura básica capaz de atender às populações fixas e flutuantes no que se refere a abastecimento de água potável e coleta de resíduos sólidos.

No segundo semestre de 2017, mais 31 cidades paulistas receberam o título. Em todo o Estado, são mais de 40 milhões de pessoas que viajam dentro do território. Deste número, a grande maioria é composta pelos próprios paulistas, que se locomovem por conta de trabalho, lazer, estudo, entre tantos outros motivos. A previsão é que o MIT incorpore, no total, 140 cidades paulistas.