Agentes da Vigilância Sanitária Estadual estiveram na cidade, segundo comerciantes (Paulo Bellini/ItapiraNews)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Comerciantes que possuem estabelecimentos na área central de Itapira relataram a presença de fiscais da Vigilância Sanitária estadual na manhã deste sábado (26).

De acordo com alguns lojistas, durante as visitas eles foram orientados a suspender as atividades em obediência ao decreto do governador João Doria (PSDB) que determinou a regressão das cidades paulistas à Fase Vermelha.

A classificação é válida para os feriados de Natal e Ano Novo, incluindo os respectivos finais de semana pós-festas. “Vieram e pediram para fechar a loja, ou seríamos multados”, comentou uma comerciante que preferiu o anonimato.

Mantenha-se bem informado: curta nossa página no Facebook, siga-nos no Instagram e também pelo Twitter

Na Fase Vermelha somente é permitida a abertura do comércio apontado como essencial, como supermercados, farmácias, padarias e agropecuárias, por exemplo.

Ainda segundo apurado, não houve aplicação de multas, mas a informação foi de que haveria nova fiscalização para certificar se a determinação havia sido acatada.

Receosos, diversos comerciantes que estavam trabalhando normalmente optaram por fechar as portas, mesmo contrariados. “A gente fica sem saber o que fazer, fica difícil demais”, comentou outro lojista, que também preferiu não se identificar.

A situação revela um conflito entre o município e o Estado. Isso pelo fato de que o prefeito José Natalino Paganini (PSDB) não emitiu nenhum decreto relacionado à nova determinação do governador.

Diante disso, o entendimento é de que Itapira permanece na Fase Amarela, que permite a abertura do comércio considerado não essencial. A reportagem enviou questionamentos à Vigilância Sanitária Estadual – Coordenadoria de São João da Boa Vista e aguarda resposta.

Mais cedo, o Itapira News publicou matéria sobre a permanência da cidade na Fase Amarela, menos restritiva. A assessoria do prefeito também confirmou que não haveria novo decreto até o Ano Novo.

Publicidade - Anuncie aqui