Advogados de Boretti se reuniram com membros da Comissão Processante (Divulgação)
publicidade
Advogados de Boretti se reuniram com membros da Comissão Processante (Divulgação)
Advogados de Boretti se reuniram com membros da Comissão Processante (Divulgação)

A Comissão Processante que conduz o processo de cassação do vice-prefeito de Itapira, Antônio Eduardo Boretti, o Dado (PCdoB), negou a defesa prévia apresentada pelo acusado de envolvimento no suposto desvio de mais de R$ 2 milhões do caixa do Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto).

Veja tudo o que já foi publicado sobre o Caso Saae

O grupo composto pelos vereadores Maurício Cassimiro de Lima (PSDB), Luiz Machado (PTC) e Rafael Donizete Lopes (PROS) se reuniu na tarde de segunda-feira para dar o veredicto sobre a peça de defesa apresentada por Boretti na semana passada.

A decisão de continuar com o processo de cassação do vice-prefeito foi aprovada por dois votos (de Lima e Machado) a um (de Lopes). Apesar disso, os advogados de Boretti, Luiz Eugênio Barduco, Patrícia Ayala e Carlos Freitas Rótoli, pediram a impugnação do parecer, apontando problemas na forma com que a negativa foi conduzida pelos vereadores que votaram pela continuidade do processo. Uma das argumentações é de que Lopes não participou da elaboração do documento, enquanto a norma federal descreve que cabe à Comissão exarar parecer.

Os advogados do vice-prefeito também consideram irregular a decisão de Lima, presidente da Comissão, de indeferir diretamente os requerimentos da defesa, que solicitaram cópias de documentos e relatórios do Saae. De acordo com os advogados, a decisão também caberia à Comissão. Boretti não participou do encontro abrigado na sede do Legislativo. Lopes afirmou que estava tomando conhecimento do parecer somente na reunião.

Segundo Barduco, a rejeição da defesa já era esperada. “Em Direito, tudo que se alega pode ou não ser acatado. Para a defesa, o principal ponto é justamente a impossibilidade de o vice-prefeito ser processado por atos que ele praticou não como vice-prefeito. Já existe jurisprudência a respeito e a gente vai se basear nisso. Todos os pontos da defesa a gente espera que sejam analisados e surtam resultados”, declarou.

A Câmara também contratou, emergencialmente, um advogado de São Paulo para assessorar a Comissão. Inclusive, na semana passada, uma comitiva que contou com a presença de Lima e Machado foi até a capital, onde o profissional foi cientificado sobre a defesa de Boretti. Lopes, contudo, não teria sido informado da viagem, e disse que recebeu o contrato firmado com o advogado somente duas horas antes da reunião de segunda-feira. O advogado também não esteve presente no encontro. Lima afirmou que a comissão vai analisar os pedidos de impugnação e que uma nova reunião deve ser agendada nos próximos dias.

No encontro, Lima e Machado negaram defesa; Lopes foi favorável (Divulgação)
No encontro, Lima e Machado negaram defesa; Lopes foi favorável (Divulgação)
Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui