Vanderlei Manoel de Oliveira é coronel da Polícia Militar
Publicidade - Anuncie aqui também!
Coronel PM Vanderlei Manoel de Oliveira é secretário municipal de Defesa Social de Itapira e comandante da Guarda Civil Municipal de Itapira
Coronel PM Vanderlei Manoel de Oliveira
é secretário municipal de Defesa Social de Itapira
e comandante da Guarda Civil Municipal de Itapira
Publicidade - Anuncie aqui

Aprender, internalizar e praticar comportamentos que nos propiciem qualidade de vida em um dos aspectos constitutivos de nosso cotidiano, certamente é a via mais inteligente e menos arriscada que podemos trilhar.

Escovar os dentes, lavar as mãos, tomar banho diariamente, aparar as unhas são algumas atitudes incorporadas ao cotidiano da maioria das pessoas e que são observadas sem nos preocuparmos em ficar relembrando os motivos que nos levam a executá-las, mas guardam relação profunda e direta com a saúde que temos.

Agora um pequeno teste: identifique apenas três atitudes que você aprendeu, internalizou e pratica diariamente em prol de sua segurança.

Ouso afirmar que a maioria das pessoas encontrarão dificuldades para responder ao singelo teste acima e, tal fato, indica uma realidade nada boa para todos: não somos educados para a segurança.

Não ser educado significa não ter conhecimento, compreensão e capacidade de discernir algo que, caso seja parte integrante de nosso dia-a-dia, irá acontecer sem que tenhamos a oportunidade de seguir caminhos e adotar decisões, o que nos deixa reféns das circunstâncias.

Quando o assunto é segurança, a primeira compreensão necessária é a de que a mesma será maior ou menor de acordo com a capacidade que desenvolvemos em identificar ameaças e riscos.

Quando o assunto é segurança, o que transmitimos de educação para nossos filhos? Na maioria das vezes quase nada!

Posicionar-se de forma segura nas incontáveis situações que vivemos em nosso cotidiano exige um esforço significativo de aprendizado, buscando a prevenção a situações onde nossa integridade física, psicológica e a integridade de nosso patrimônio pode ser posta em risco.

Segurança ao telefone

Trata-se de uma ferramenta de comunicação das mais céleres mas também das mais vulneráveis, quando não observados alguns cuidados aparentemente óbvios, mas frequentemente esquecidos:

Atendendo o telefone. A obrigação de se identificar primeiro recai na pessoa que efetua a ligação, não o contrário! É muito comum as pessoas efetuarem ligações e, ao serem atendidas, formularem a seguinte indagação: -quem está falando? Habitue-se a formular outra pergunta em resposta a essa pergunta: – gostaria de falar com quem? Quem está falando?

Cuidado com o que fala ao telefone. A escuta clandestina de telefones é uma realidade presente em todo o mundo, graças aos recursos tecnológicos disponíveis no mercado e de fácil aquisição por qualquer pessoa. Evite tratar de assuntos sigilosos/reservados por essa via.

Golpe do seqüestro. Apesar de ser relativamente antigo, muitas pessoas ainda caem nesse golpe que, geralmente, é iniciado por uma ligação a cobrar que, ao ser atendida, possibilita ouvir alguma pessoa gritando por socorro (geralmente imitação da voz de uma pessoa do sexo feminino). Quem atendeu a ligação, se não está atenta aos fatos, acaba por falar quase que instintivamente o nome de uma irmã, uma filha, uma neta, uma nora, momento em que o golpista passa a usar o nome dito para afirmar que a pessoa foi seqüestrada, exigindo algum tipo de recompensa para a liberação da pretensa vítima. Jamais fale nome de pessoas de sua família ao telefone, sem ter plena certeza acerca de quem está do outro lado da linha.

Propostas de negócios. Propostas de cartões de crédito, assinatura de jornais, revistas e uma infinidade de outros negócios, tudo “gentilmente” disponibilizado por telefone, mas com uma armadilha mortal para quem não quer efetuar o negócio: a conversação é gravada, fato que nos é comunicado logo ao início do contato. Essa comunicação de que a conversa está sendo gravada, seguida de sua aceitação, a transforma em prova legal. Caso não queira negociar, avise logo ao início que não está interessado.

Dados pessoais. Jamais forneça seus dados pessoais (endereço, nº de documentos, conta corrente etc) a quem quer que seja via telefone, afinal de contas é praticamente impossível saber se a empresa ou o vendedor são realmente o que dizem ser, ou se há alguma escuta clandestina conectada à sua linha.

Agenda telefônica. Os celulares modernos oferecem uma infinidade de recursos estando, entre eles, a agenda de contatos. É sempre possível perdermos o celular e, se nele houverem os chamados dados óbvios, você ou alguém de seu relacionamento poderá transformar-se em vítima de algum delinqüente. Cuidado com a nomenclatura de pastas de contato com nomes tipo família, trabalho, faculdade etc, bem como o nome de pessoas trocado por grau de parentesco tipo pai, mãe, tia Zita, tio Chico, filhão, filha, amor etc. Como dizem os bons caipiras, isso é “dar milho ao bode”! Evite também imagens das pessoas de seu contato vinculado ao nº do telefone de sua agenda. Busque manter sua caixa de mensagens sempre vazia e, se quiser mantê-las em arquivo, descarregue-as em um computador pessoal.

Tudo o aqui exposto não é neurose. Trata-se apenas de algumas atitudes que precisamos conhecer, internalizar e adotar no cotidiano, como forma de adaptação à realidade que vivenciamos e na qual podemos viver seguros ou inseguros dependendo, em muito, das atitudes que temos!

Em outras oportunidades estaremos tratando de outros temas relacionados à segurança, buscando contribuir para a construção de uma cultura positiva nessa área.

Coronel PM Vanderlei Manoel de Oliveira
é secretário municipal de Defesa Social de Itapira
e comandante da Guarda Civil Municipal de Itapira.