O delegado Anderson Lima, ao centro, com os escrivães Anthony Chaim Boretti e Andressa Loureiro (Divulgação)

A estratégia de unificar os plantões das delegacias das cidades da região na CPJ (Central de Polícia Judiciária) parece ter atingido os objetivos iniciais de elevar a produtividade no âmbito das investigações, inquéritos e operações de combate à criminalidade no âmbito da Polícia Civil de Itapira.

É o que confirma um levantamento apresentado nesta quarta-feira (2) pelo delegado titular de Itapira, Anderson Cassimiro de Lima. De acordo com a autoridade, a Polícia Civil itapirense fechou o mês de maio com recorde de produtividade.

As estatísticas apontam para a conclusão de quase 80 inquéritos no período, além do registro de 234 boletins de ocorrência, quatro prisões temporárias pedidas e cumpridas e mais quatro de prisões preventivas também cumpridas, seis mandados e busca e apreensão cumpridos e 14 cartas precatórias expedidas por vários estados e cumpridas no município.

A alteração no atendimento começou no dia 1º de abril. Quando os plantões noturnos e de finais de semana das delegacias de Itapira, Mogi Mirim, Mogi Guaçu e Estiva Gerbi passaram a ser concentrados na CPJ.

Com isso, as ocorrências registradas nesse período em qualquer uma destas cidades são encaminhadas a Mogi Guaçu, tanto pelas equipes da GCM (Guarda Civil Municipal) como pela PM (Polícia Militar).

A medida foi necessária diante do quadro reduzido de profissionais nas unidades da Polícia Civil. “É lógico que gostaríamos de ter um quadro completo de pessoal para poder conseguir manter o plantão e prestar todo o atendimento que a população merece, mas em razão da escassez de funcionários, essa mudança precisou ser adotada e pudemos direcionar todos nossos esforços para a parte investigativa”, destacou o delegado.

Dr. Anderson destacou ainda que, ao tirar dos policiais civis a função de atendimento direto ao público e do registro de ocorrências nos períodos noturnos e finais de semana, foi possível adotar uma escala com presença diária de todos os agentes na delegacia, elevando também o número de operações desencadeadas.

“Os reflexos no aumento da nossa efetividade foram muito satisfatórios, até mesmo acima do que era esperado. Com velocidade e qualidade no trabalho policial, o Ministério Público e o Poder Judiciário também conseguem ter mais celeridade, dando andamento aos casos para que os criminosos efetivamente sejam punidos, e isso acaba por reduzir tanto os indicadores criminais quanto a própria sensação de impunidade”, avaliou o titular.

Publicidade - Anuncie aqui