Publicidade - Anuncie aqui também!
Vereadores conversaram com vice-presidente e deputado estadual (Leo Santos)
Vereadores conversaram com vice-presidente e deputado estadual (Leo Santos)
Publicidade - Anuncie aqui

Um encontro a portas fechadas na Câmara Municipal reuniu os vereadores Juliano Feliciano e Marcos Paulo da Silva, ambos do PRB (Partido Republicano Brasileiro), à parte da cúpula estadual da sigla.

Eles conversaram com o vice-presidente do PRB em São Paulo, Sérgio Fontellas, e com o deputado estadual pela sigla, Gilmaci Santos. A reunião ainda teve a presença da presidente do diretório local do PRB, Benedita de Lourdes Mota Silva.

A conversa durou cerca de uma hora e aconteceu em uma das salas do Legislativo. Em pauta, o aparente racha entre a bancada do partido na cidade, com Feliciano ainda alinhado ao governo municipal e Silva na oposição.

No ano passado, depois que Silva foi alvo de críticas de Paganini e expulso do grupo governista, o PRB exigiu que o chefe do Executivo divulgasse uma carta de retratação até o final do ano. Era a condição para que o partido seguisse na base. A carta não saiu e Silva declarou oposição. Feliciano não seguiu a mesma direção, e agora o partido segue dividido na cidade.

Fontellas e Santos vieram ao município em um carro oficial da ALESP (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo). O encontro com os vereadores foi o único compromisso dos dois na cidade.

Na saída, Fontellas disse à reportagem que ainda não havia qualquer definição sobre a situação do PRB em Itapira, mas sinalizou que a sigla deverá continuar integrando a base governista. “Ainda estamos resolvendo, não há nada definido. Estamos discutindo questõezinhas, mas estamos propensos a continuar na base do prefeito (José Natalino Paganini, do PSDB)”, disse o vice-presidente do partido, que preferiu não falar em prazos para que a situação seja efetivamente resolvida. “Futuramente vai ter uma resposta. (O clima) está favorável a caminhar com o prefeito, não estou dizendo que está definido”, reforçou Fontellas.

Já o deputado negou que tenha vindo à cidade para falar sobre a situação dos dois vereadores. Também discordou que a sigla esteja rachada no município. “Somente estou passando pra visitar meu amigo”, disse, apontando para Feliciano. “Não existe racha no PRB, o PRB não racha, somos uma família sempre unida. Existem, às vezes, opiniões contrárias, não sei se é o caso daqui”, ponderou.

Questionado se o partido deve se manter alinhado ao governo municipal, o parlamentar desconversou. “Isso quem decide são os vereadores, eu decido em São Paulo, na Assembleia, aqui são dois vereadores que devem decidir se ficam na bancada, não tenho opinião quanto a isso”.

Benedita de Lourdes se limitou a dizer que fazia dela as palavras de Fontellas e de Gilmaci. Feliciano e Silva não quiseram se manifestar. Na saída, o deputado e o vice-presidente seguiram com o carro oficial, junto ao motorista. Silva foi embora sozinho, enquanto que Feliciano foi embora com Benedita.

Publicidade - Anuncie aqui