Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

anuncieanimadoSempre que surgem casos de desaparecimento de pessoas, também aparecem informações de que o boletim de ocorrência somente pode ser feito depois de 24 horas do ocorrido.

O argumento, contudo, é totalmente improcedente e, inclusive, prejudica a atuação da polícia na localização da vítima. “A família de uma pessoa desaparecida, seja uma criança, adolescente ou adulto, não precisa aguardar 24 horas para registrar o boletim”, afirma a SSP/SP (Secretaria da Segurança Pública de São Paulo).

De acordo com o Governo do Estado, essa recomendação não existe e atrapalha o trabalho de investigação. “A providência da polícia deve ser imediata, e o desaparecimento pode ser comunicado pela Delegacia Eletrônica, através das viaturas da Polícia Militar, pelo 190 ou pessoalmente nas delegacias de polícia”, ressalta a SSP.

Orientações

Uma das principais atividades da 4ª Delegacia de Pessoas Desaparecidas, do DHPP (Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa) é a busca por crianças e adolescentes desaparecidos. Para a Polícia Civil, o diálogo é fundamental para evitar situações angustiantes para os pais. Por isso, orientar a criança a procurar um profissional da segurança, como policiais, vigias ou seguranças é fundamental. Outra dica importante é tirar o RG da criança assim que ela completar dois anos de idade. Isso garante que as autoridades tenham o registro e informações nos bancos de dados e ajuda na localização ou identificação.