Reeducandos desertaram e cometeram crime, fugindo em seguida (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

Três detentos, reeducandos que fazem parte do programa de ressocialização através do trabalho, estão agora foragidos após invadirem uma casa em um condomínio fechado para assaltar uma família em Itapira.

O caso aconteceu no início da tarde da última segunda-feira (8). Segundo a GCM (Guarda Civil Municipal), três homens que atuam na limpeza pública do município por meio de um convênio não retornaram ao ônibus após o almoço.

Eles trabalhavam na região do Morro do Gravi, mas se esconderam nos fundos do almoxarifado, com a ausência sendo notada pelo motorista somente ao realizar a contagem no retorno ao local de trabalho.

Enquanto isso, os três homens invadiam um condomínio residencial na região do bairro dos Pinheiros. Dois deles foram até uma casa e renderam duas mulheres, uma funcionária e duas crianças com idades de três e quatro anos.

Um deles apresentava comportamento bastante violento e, na posse da foice utilizada no trabalho, ameaçava a mãe das crianças. Os ladrões se apoderaram de cerca de R$ 2 mil em dinheiro, além de jóias e relógios, celular, notebook e outros pertences, bem como bebidas, e fugiram.

A suspeita é que eles tenham invadido o condomínio por meio de uma tubulação. Após o roubo, eles não foram mais localizados, bem como nenhum objeto foi recuperado até o momento.

A GCM foi acionada e anotou as características dos bandidos. As vítimas contaram que um deles vestia camiseta do Palmeiras e ambos estavam com calças com cores beges. Um dos guardas da equipe, Neto, se lembrou de ter passado pela manhã pela região do Gravi e avistado um dos detentos com a camiseta do time.

Com isso, viaturas foram ao local e todos os demais reeducandos foram colocados no ônibus e levados de volta ao Almoxarifado Municipal, onde nova contagem foi realizada. Com isso, ficou constatada a deserção de três membros do grupo, que foram identificados por Rodrigo Lopes, 23, Maicon Castro Silva, 22 e Lucas Souza Oliveira, 23.

Trio é acusado de crime após deserção (Reprodução)

Segundo as vítimas, que reconheceram os criminosos por meio das fotos das carteirinhas funcionais, foram Lopes e Silva que invadiram a casa, sendo que Oliveira possivelmente se manteve dando cobertura à ação.  Silva seria o que estava com a foice.

Os guardas Paulo e Neto conduziram a ocorrência à Delegacia de Polícia, onde as identificações foram entregues ao investigador Daniel Portilho, do SIG (Serviço de Investigações Gerais) da Polícia Civil. O trio agora é considerado foragido.

O convênio firmado entre a Prefeitura e a FUNAP (Fundação Dr. Manoel Pedro Pimentel) permite que os detentos atuem em regime semiaberto para cumprirem jornadas de trabalho em limpezas públicas. O mesmo programa é adotado em cidades da região, como Mogi Mirim.

Contudo, não é a primeira vez que integrantes do grupo se envolvem em ações criminosas, aproveitando do benefício concedido. O tema já foi alvo de muita polêmica após furto ocorrido em uma casa no Parque Santa Bárbara, bem com apreensão de celular e maconha com outros detentos.