Aplicativo virou febre entre usuários no Brasil e no mundo (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Aplicativo virou febre entre usuários no Brasil e no mundo (Reprodução)
Aplicativo virou febre entre usuários no Brasil e no mundo (Reprodução)
Publicidade - Anuncie aqui

Lançado na última quarta-feira (3) no Brasil, o jogo de realidade aumentada Pokémon Go funciona por meio de um GPS, o que faz com que os aficionados saiam andando pelas ruas de olho na tela do celular para capturar os divertidos monstrinhos.

A diversão, contudo, pode gerar riscos de acidentes. Desde que o game foi lançado em outros países e virou assunto também no Brasil, o Detran.SP (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo) vem alertando de forma bem-humorada em suas redes sociais sobre os perigos de acidentes de trânsito envolvendo a distração dos jogadores.

Antes de ser iniciado, o próprio jogo emite um alerta para que não se jogue Pokémon Go enquanto dirige. Nas últimas semanas, Austrália e Estados Unidos foram alguns dos países que já noticiaram batidas e atropelamentos envolvendo a caça aos pokémons, um deles ocasionando a morte de uma garota de 22 anos.

No Brasil, a história se repete: em Curitiba, no Paraná, um jovem foi atropelado na manhã desta quinta-feira (4) enquanto jogava. Colisões e choques são os tipos de acidentes mais frequentes no trânsito, muitos deles com consequências graves ou até mesmo fatais. E a distração é um dos principais motivos para essas batidas. Por isso, se quiser sair à caça de pokémons no trânsito, procure alternativas. Pesquisas mostram que usar o celular enquanto dirige prejudica tanto nossa capacidade de perceber e evitar perigos no trânsito como dirigir alcoolizado.

A criatividade do brasileiro já fez com que a febre se torne oportunidade de negócio. Empresas de transporte de passageiros, como táxis, já oferecem serviços especiais para que os jogadores procurem pelos pokémons no trânsito sem se preocupar com a segurança. No Nordeste, um motoboy oferece seus serviços para rodar pela cidade com os gamers na busca por monstrinhos.

A preocupação com a distração vale e muito também para os pedestres, que jamais devem jogar enquanto atravessam a rua. No Estado de São Paulo, um em cada quatro mortos por acidente de trânsito são pedestres, segundo dados do Observatório Paulista de Trânsito, do Detran.SP. No Brasil, a proporção é de um em cada cinco. “Cuide primeiro da sua segurança ou corra o risco de não zerar o jogo e ainda por cima conquistar o prêmio Darwin (das mortes mais bizarras do mundo)”, alerta o órgão.

POLÍCIA

O 26º BPM/I (Batalhão de Polícia Militar), sediado em Mogi Guaçu e que coordena o policiamento em oito cidades – incluindo Itapira – divulgou dicas para que a diversão não vire um problema. Confira:

  • Cautela ao fazer uso do aparelho telefônico em público, pois você pode ser vítima de roubo. A distração causada pelo jogo facilita a ação de criminosos. O celular é um equipamento caro, que facilmente vira dinheiro na mão de marginais.
  • Você pode ser vítima de acidentes pessoais; não observando obstáculos em seu caminho, ou até mesmo veículos, ao atravessar uma rua, entre outros;
  • Escolha locais seguros para jogar: com boa iluminação e  de preferência sobre a calçada, ou local que não tenha circulação de veículos, pessoas correndo, obstáculos no chão, entre outros;
  • PAIS OU RESPONSÁVEIS: oriente suas crianças;
  • Procure brincar quando estiver acompanhado, para que enquanto um joga o outro observe os arredores e se perceber pessoas com atitudes suspeitas, LIGUE 190. Divirta-se com segurança.