Luis Americo Machado
publicidade
Machado foi morto após discussão que começou no Recinto; motivo teria sido consumo de chopp sem autorização (Reprodução)
Machado foi morto após discussão que começou no Recinto; motivo teria sido consumo de chopp sem autorização (Reprodução)

O motorista Luis Américo Machado (foto), 39, morreu na tarde de domingo (01), depois de ser atingido por um golpe de faca na cabeça. O caso ocorreu no cruzamento da Avenida Brasil com a Rua Santo André, nos Prados, por volta das 14h40.

O suposto autor da agressão, identificado como sendo o técnico em segurança do trabalho Luis Gabriel Massari, 23, foi detido pela GCM (Guarda Civil Municipal) e acabou preso, acusado pelo crime de homicídio.

Segundo informações contidas no registro da Polícia Civil, uma discussão ocorrida durante o evento ‘Tratorata’, que acontecia no Recinto Agropecuário ‘Carmem Ruete de Oliveira’, culminou no assassinato do motorista. De acordo com o boletim de ocorrência, a vítima e alguns amigos estavam no local, por volta das 14h00, quando começaram a consumir bebidas alcoólicas que teriam sido levadas por um engenheiro civil de 39 anos, sem sua autorização.

Ainda no Recinto, houve discussão verbal entre a vítima e seus amigos com o grupo que envolvia o indiciado, o engenheiro e seus amigos, porém sem luta corporal. Contudo, momentos depois, os dois grupos teriam se reencontrado no local do crime, dando início a uma discussão.

Foi neste momento que Machado acabou sendo atingido pelo golpe de faca, que teria sido desferido por Massari. Ele foi socorrido pelo Samu, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O homem apontado como sendo o agressor foi contido por populares até a chegada da GCM, que encontrou com ele a faca utilizada no crime, ainda com resquícios de sangue.

Segundo a Polícia Civil, embora a briga tenha tido início entre a vítima e o engenheiro civil, nenhuma das testemunhas ouvidas disseram ter visto ele agredir a vítima. Apesar de também ter sido detido, ele prestou depoimento e foi liberado, já que não havia indícios de que o mesmo tenha determinado a Massari que matasse o motorista. A conduta do engenheiro será apurada via inquérito policial.

O corpo de Machado foi levado ao IML (Instituto Médico Legal) de Mogi Guaçu. O local do crime não foi periciado, já que houve tumulto que prejudicariam os trabalhos necessários. A vítima era conhecida por atuar como motorista de depósitos de construção. Massari foi autuado em flagrante pelo delegado Dalton David Ferreira, sendo recolhido à UDTE (Unidade de Detenção, Triagem e Encaminhamento) de Itapira.

Print Friendly, PDF & Email

Publicidade - Anuncie aqui