Academias devem permanecer fechadas, diz governador (Ilustração)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta quarta-feira (13) que não vai autorizar a reabertura de academias e salões de beleza no Estado durante a quarentena para combater a proliferação do novo coronavírus (Covid-19).

Esses estabelecimentos, incluindo barbearias, foram incluídos no rol de atividades essenciais por meio de decreto editado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), publicado na segunda-feira (11).

A decisão de permitir o funcionamento, contudo, cabe aos Estados e aos municípios, conforme entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal) com base na Constituição Federal.

Doria disse que seu governo “ouve e respeita” as autoridades de Saúde e afirmou que ainda não há condições sanitárias para autorizar a flexibilização para os segmentos apontados.

“Respeitamos todos os profissionais que atuam em academias, institutos de beleza, assim como barbearias e manicures. Profissionais que merecem todo o nosso respeito, mas o nosso maior respeito por esses profissionais é garantir a sua via, sua saúde”, disse o governador.

Doria também reforçou que o Comitê Econômico do Estado está trabalhando em conjunto com prefeitos para definir um plano de reabertura do comércio a partir do dia 31 de maio, data de término da quarentena.

Segundo o tucano, até lá nenhuma modificação será realizada. “Isso é valido para todo o estado, inclusive os municípios. E com diálogo e entendimento, bom senso e principalmente respeito a saúde, vamos elaborar os protocolos para a segunda etapa depois desta quarentena”, explicou Doria.

Publicidade - Anuncie aqui