Maconha e munições seriam entregues a desconhecido em Itapira, diz registro da ocorrência (Divulgação)
Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

O carregamento com quase 130 quilos de maconha e as 270 munições apreendido com o filho de uma desembargadora de Mato Grosso do Sul tinha como destino a cidade de Itapira. A informação consta no boletim de ocorrência do caso registrado em abril e que agora motiva polêmicas pela transferência do acusado do presídio estadual para uma clínica médica.

O empresário Breno Fernando Solon Borges, 37, foi preso juntamente com outras duas pessoas – uma delas sua namorada de 18 anos, em uma operação das polícias Federal e Rodoviária Federal na cidade de Água Clara, a 192 quilômetros de Campo Grande. Nos veículos conduzidos pelos envolvidos foram encontradas as cargas de drogas e de munições para armas de calibres 7,62 mm e 9 mm.

A informação de que Itapira seria o destino do carregamento foi relatada no registro da ocorrência, segundo divulgou nesta terça-feira (25) o jornal Folha de S. Paulo. As drogas e as munições seriam entregues a um desconhecido, segundo depoimento do empresário, filho da desembargadora Tânia Garcia Freitas, presidente do TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul).

Segundo reportagem da Folha, Breno já foi beneficiado em três decisões do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul). Para requerer a transferência do presídio para uma clínica, a defesa do acusado alegou que ele sofre de transtorno de personalidade, sendo duvidosa sua sanidade mental. O caso corre em segredo de Justiça.

Trecho de reportagem da Folha apontou destino das drogas e munições (Reprodução)