Égua está sendo tratada por veterinários voluntários, diz Sama (Divulgação)

A égua resgatada de situação de maus tratos em uma área no bairro Assad Alcici, em Itapira, segue em tratamento junto a veterinários voluntários, segundo informado pela Sama (Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento).

O animal foi retirado do proprietário na semana passada pela Patrulha Ambiental, em uma operação que contou com o apoio da Defesa Civil e da GCM (Guarda Civil Municipal).

De acordo com as informações do órgão, a égua apresentava ferimento de natureza grave em uma das patas traseiras e seu dono não teria condições de arcar com os custos do tratamento.

No dia em que o caso foi divulgado, a Patrulha Ambiental alertou que o animal corria risco até mesmo de ser sacrificado em razão da gravidade do ferimento. Agora, cinco dias depois, o diagnóstico já é melhor, segundo a Sama – pasta à qual a Patrulha à subordinada.

Ferimento grave em uma das patas traseiras colocou vida do animal em risco (Divulgação)

“Felizmente o animal apresenta-se com o apetite conservado, está se alimentando bem e lutando para sobreviver”, destaca texto publicado pela secretaria. Segundo a nota, ao ser resgatada a égua “apresentava estado geral comprometido, com emagrecimento ‘caquético’ e lesões cutâneas por decúbito (escaras)”.

Ainda de acordo com o texto, o animal perdeu o casco da pata que sofreu o ferimento, com exposição óssea e presença de ‘bicheiras’ no local da lesão. A égua vem recebendo tratamento adequado, com medicações diversas e alimentação à base de feno, ração e sal mineral para equinos.

“Os veterinários voluntários farão uma proteção local na área lesionada, com uma bandagem macia para auxiliar a caminhada do animal, bem como servir de apoio para ele se deixar e se levantar”, finaliza a nota.

Segundo a Patrulha Ambiental, o proprietário vinha tentando tratar o ferimento com contribuições. Porém, sem recursos, o tratamento não era adequado à situação.

Ele disse que o machucado foi provocado por pessoas que quebraram a baia e derrubaram um pedaço de madeira que atingiu a égua.

Ainda segundo a Sama, a intenção é disponibilizar o animal para adoção responsável após o tratamento. Quem tiver interesse pode manter contato pelo telefone (19) 3863-1886.

Publicidade - Anuncie aqui