Publicidade - Anuncie aqui também!
Publicidade - Anuncie aqui

A GCM (Guarda Civil Municipal) se despediu do cão farejador Maradona, que durante sete anos atuou na equipe do GOC (Grupo de Operações com Cães).

O labrador tinha aproximadamente 11 anos de vida e morreu em decorrência de problemas de saúde.

Ele estava internado desde quinta-feira (9) na Clínica Xodó, mas infelizmente não resistiu e morreu no último sábado (11).

Mantenha-se bem informado: curta nssa página no Facebok, siganos no Instagram e também pelo Twitter

O corpo do cão foi sepultado na área do Canil da GCM com uma cerimônia de honras que reuniu diversos guardas civis municipais. A despedida emocionante contou, inclusive, com os  guardas perfilados.

Também marcaram presença familiares do guarda Paulo Borges, que em 2010 adotou o labrador encontrado abandonado na região da Usina Nossa Senhora Aparecida. Em 2011, o cão foi inserido no GOC, onde ficou até 2018, quando foi aposentado.

O guarda, que desde 2018 mantinha o cão em sua casa, fez questão de agradecer à Clínica Xodó por todos os atendimentos e pelo empenho em tentar salvar o animal. Também agradeceu a solidariedade da população que lamentou a perda.

De seu cruzamento com a cadela Aisha, também labradora e farejadora da GCM, nasceram cinco filhotinhos. Maradora ganhou fama regional por suas atuações de destaque em centenas de ocorrências.

Era considerado expert na localização de entorpecentes, por isso era comumente escalado em ações contra o tráfico de drogas. Além do trabalho prestado à GCM, também apoiou ocorrências desencadeadas por policiais civis e militares.