Asfalto da Santa Terezinha não durou dois meses
Publicidade - Anuncie aqui também!
Asfalto da Santa Terezinha não durou dois meses
Asfalto da Santa Terezinha não durou dois meses
Publicidade - Anuncie aqui

O recapeamento asfáltico não resistiu nem dois meses em um trecho da Rua Santa Terezinha, no bairro dos Prados. Aplicado na primeira quinzena de abril, o novo pavimento já apresenta problemas, como uma espécie de escorregamento da massa e uma rachadura de grandes proporções.

As obras no local foram feitas como parte integrante de um pacote que consome cerca de R$ 5 milhões em empréstimos feitos pela Prefeitura junto ao Governo do Estado, através do Programa Desenvolve SP.

Porém, o ‘novo asfalto’ já se deteriorou e até mesmo o pavimento anterior se tornou visível em uma parte da rachadura. A Rua Santa Terezinha concentra grande movimento de veículos durante todo o dia. A via é uma das principais ligações entre a Avenida Brasil e bairros como Jardim Camboriú e Guarujá, além de dar acesso às rodovias SP-352 (com a qual faz cruzamento) e SP-147.

A aplicação da nova massa asfáltica foi divulgada pela Prefeitura no dia 8 de abril, por meio de nota veiculada pela assessoria de imprensa. “Dando continuidade no cronograma de recapeamento de ruas e avenidas da cidade, a Secretaria de Obras e Planejamento dedicou os últimos dois dias para dar início na melhoria da Rua Santa Terezinha, no bairro dos Prados. A via receberá nova cobertura asfáltica em toda sua extensão, que vai desde a Avenida Brasil até a saída para a Rodovia SP- 147”, publicou a administração nas redes sociais.

REPAROS

Em nota, a Prefeitura justificou que o trabalho de recuperação de ruas e avenidas ainda não foi concluído, e que os problemas constatados serão resolvidos pela empresa responsável pelas obras. “Onde forem constatados problemas, a empresa responsável se encarregará de resolvê-los à sua custa, conforme consta no contrato. A empresa já foi alertada sobre o ‘escorregamento’ de massa que ocorreu na Rua Santa Terezinha e irá retornar ao local para reparos dentro dos próximos quinze dias”, garantiu a administração.